Motorista de ônibus que caiu em ribanceira na BR-153 diz que acidente foi causado por falta de sinalização

O motorista disse que acredita que tudo aconteceu por causa de má sinalização no desvio feito na pista, além de uma sensibilidade diferente entre os freios

Postado em: 29-12-2021 às 09h55
Por: Alexandre Paes
O motorista disse que acredita que tudo aconteceu por causa de má sinalização no desvio feito na pista, além de uma sensibilidade diferente entre os freios | Foto: Reprodução/Internet

A Polícia Civil registrou depoimento do motorista Edmar Carlos da Mota, de 31 anos, que dirigia o ônibus que caiu em uma ribanceira na BR-153, em Aparecida de Goiânia, Região Metropolitana da capital. O acidente deixou seis mortos e cerca de 40 feridos. O profissional disse que acredita que tudo aconteceu por causa de má sinalização no desvio feito na pista.

A Triunfo Concebra, concessionária responsável pela rodovia, informou que o local “estava e se mantém sinalizado”. A empresa disse que há painéis eletrônicos, cones, dispositivos luminosos e viaturas com sinalização intermitente.

Problemas nos freios

Continua após a publicidade

Dias antes, as investigações tiveram acesso a um áudio gravado por Edmar e enviado a um grupo de rede social – formado por outros morotirstas da empresa e dois superiores. Na gravação, ele afirma que o ônibus apresentou “problema de freio” e que por isso estava indo mais devagar, o que poderia atrasar a chegada.

“O carro está com problema de freio, freando só de um lado. Então, a gente está indo mais no sapatinho aí para evitar transtornos maiores”, diz o áudio.

Ao ser questionado sobre isso, Edmar confirmou ser autor da gravação, mas detalhou que, na verdade, não havia uma falha, mas uma sensibilidade diferente entre os freios (o freio do lado direito estava parando com “mais intensidade” do que o esquerdo).

A Polícia Técnico-Científica realizou uma perícia no veículo na última terça-feira (28/12). Os resultados devem ajudar na investigação. A empresa de ônibus Real Expresso disse que todos os veículos da empresa, inclusive o que se envolveu no acidente, passam por um rigoroso programa de inspeção e manutenção antes de todas as viagens.

“O ônibus foi periciado pela perícia técnica e pela área de engenharia da empresa e todos os sistemas de segurança estavam em pleno funcionamento”, disse a empresa em nota.

Veja Também