Região Metropolitana de Goiânia terá bilhete único, define Câmara Deliberativa de Transportes Coletivos

Primeira fase da implantação da RMG tem início previsto para abril deste ano

Postado em: 26-02-2022 às 09h20
Por: Maiara Dal Bosco
Primeira fase da implantação da RMG tem início previsto para abril deste ano | Foto: Pedro Pinheiro

Em reunião realizada ontem (25), membros da Câmara Deliberativa de Transportes Coletivos (CDTC) apresentaram o projeto da Nova Rede Metropolitana de Goiânia (RMG). O projeto, que prevê o início da implantação das novidades da RMG em abril deste ano, conta, ao todo, com sete novos produtos em sua primeira fase de implantação.

Entre os produtos da primeira fase estão o bilhete único, que será válido por duas horas e meia e permitirá integração fora dos terminais, funcionando com o Cartão Fácil e o Bilhete Meia Tarifa, que custará a metade do valor da vigente, ou seja, R$ 2,15, e será válido para percursos de até 5km.

Além disso, também serão implantados o Cartão Assinatura, semelhante ao vale transporte adquirido pelas empresas e que é válido por 30 dias, possibilitando até oito embarques diários, e o Cartão Família, que funcionará apenas aos finais de semana.

Continua após a publicidade

Já o Bilhete um Dia e o Bilhete uma Semana, em formato digital, permitirão a integração fora dos terminais, com validade respectiva de um dia e uma semana. O Cartão Pós-Pago encerra a lista das novidades da primeira fase a ser implantada. Essa modalidade permitirá que o passageiro pague a passagem depois de usar o serviço, uma espécie de “sem parar” nos ônibus da Nova RMG, uma vez que o gasto com as passagens será enviado por uma fatura, ao final do mês.

“O que estamos podendo fazer, além de oferecer para a população um transporte público de qualidade, é dar a cada cidadão o direito de ir e vir com várias opções de deslocamento integradas, isso é inovação, é disrupção, é algo que o nosso país ainda não viveu.  Estamos nos alinhando à grande tendência de mobilidade do mundo”, afirma Tarcísio Abreu, presidente da CMTC.

Segunda etapa

Já a segunda etapa da implantação da RMG, que deverá ser detalhada e apresentada à CDTC na próxima reunião, segundo afirmou o presidente da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), Tarcísio Abreu. Estão incluídos na segunda etapa ações como renovação e modernização de toda a frota em serviço hoje na RMTC, entre 2022 e 2025, sendo que o Eixo Anhanguera será renovada até 2023.

Também estão previstos o Novo Eixo Norte-Sul, proposta que compõem-se do desenvolvimento do plano de implantação da operação BRT Norte-Sul, da criação do programa de manutenção da infraestrutura de transporte, bem como da operação dos terminais e estações de embarque. Além disso, inclui ainda a criação do plano operacional de integração espacial com o Eixo Anhanguera, e investimentos em tecnologia ITS (Intelligent Transit System).

Integrantes

A reunião da CDTC foi realizada já com a respectiva nova composição. Integram a Câmara Deliberativa, o secretário-geral da Governadoria do Estado de Goiás, Adriano da Rocha Lima, que assume a presidência da CDTC; os secretários de estado: Cristiane Schmidt, Economia; Henrique Ziller, controladoria-geral e Wellington Lima, Desenvolvimento Social, representando o Governo de Goiás.

Já indicados pela Prefeitura de Goiânia, estão o secretário do Escritório de Prioridades Estratégicas, Arthur Bernardes; de Mobilidade, Horário de Melo; de Infraestrutura Urbana, Everton Schmaltz e o chefe de gabinete do prefeito, José Alves Firmino. Além disso, fazem parte da CDTC, o procurador-geral Fábio Camargo, que representa Aparecida de Goiânia e o secretário de Planejamento e Desenvolvimento, Rafael Gonzaga, Senador Canedo.

Veja Também