Médica goiana recebe reconhecimento internacional por estudo sobre doença rara e vacina contra Covid-19

A dermatologista Mayra Ianhez, do HDT, identificou a pitiriase rubra pilar em paciente após se imunizar

Postado em: 10-03-2022 às 13h42
Por: Augusto Sobrinho
A dermatologista Mayra Ianhez, do HDT, identificou a pitiriase rubra pilar em paciente após se imunizar | Foto: Reprodução/ SBD-GO

A médica dermatologista Mayra Ianhez, do Hospital Estadual de Doenças Tropicais Anuar Auad (HDT), terá sua pesquisa sobre um paciente goiano, que desenvolveu uma doença rara após se vacinar contra a Covid-19, publicada na Revista Europeia de Dermatologia Journal of The European Academy of Dermatology and Venerology (JEADV).

“Tudo começou quando me deparei com o caso de um paciente com uma doença rara, chamada pitiriase rubra pilar. O paciente havia se vacinado contra Covid-19 oito dias antes. Ao comentar o caso com o dr. Paulo Ricardo Criado, médico dermatologista, ele me relatou que também tinha um paciente semelhante, com a mesma doença, desencadeada pela mesma vacina. Juntamos os dois casos e fizemos uma revisão de pesquisas pelo mundo na tentativa de descobrir se existiam casos semelhantes com as vacinas de Covid-19”, pontuou a dermatologista.

Com isso, o estudo foi desenvolvido pela médica da unidade do Governo de Goiás em parceria com os também dermatologistas Paulo Ricardo Criado, da Faculdade de Medicina do ABC de São Paulo; Paula Rocha, médica residente de dermatologia do HDT; e pelo pesquisador, Hélio Miot, da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

Continua após a publicidade

“A pesquisa apontou que já existiam quatro casos da doença sendo desencadeada por outras vacinas (antes mesmo da Covid-19). Porém, com as vacinas de Covid-19 (diferentes entre si), já existiam cinco casos pelo mundo”, afirmou. Porém, a médica destaca que os casos somente são observados em pacientes com predisposição para a doença e que não há nenhuma indicação para que as pessoas deixem de se vacinar contra a Covid-19.

“Felizmente, nossos pacientes passam bem, em uso medicamento oral. É bom lembrar que, apesar do gatilho da doença ter como principal hipótese a vacina para Covid-19, nenhum de nós é contra a vacina. A pitiriase rubra pilar é rara, ocorre geneticamente em indivíduos predispostos e, nesses casos, responde bem à medicação. Portanto, em hipótese alguma deixem de se vacinar”, reforçou a médica.

Veja Também