Articulação dos Povos Indígenas do Brasil diz que jornalista britânico e indigenista seguem desaparecidos

A Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) contrariou a fala da esposa do jornalista britânico Dom Phillips, Alessandra Sampaio, e informou

Postado em: 13-06-2022 às 11h19
Por: Francisco Costa
Mais cedo, a esposa do profissional de imprensa disse que os corpos tinham sido encontrados (Foto: Funai e Reprodução)

A Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) contrariou a fala da esposa do jornalista britânico Dom Phillips, Alessandra Sampaio, e informou pelo Twitter que o profissional de imprensa e o indigenista brasileiro Bruno Pereira seguem desaparecidos. Mais cedo, a mulher disse que os corpos tinham sido encontrados. As autoridades, contudo, não confirmaram a informação.

“Bruno e Dom seguem desaparecidos. As informações de que corpos foram encontrados não procedem. As organizações indígenas que acompanham o caso seguem pressionando a continuidade nas buscas. Solicitamos que aguardem uma posição oficial”, escreveu a Abip na rede social.

Eles desapareceram no último dia 5, no Vale do Javari, na Amazônia. A dupla fazia o trajeto da comunidade ribeirinha São Rafael até a cidade de Atalaia do Norte.

No domingo (12), encontraram objetos pessoais da dupla. Segundo a polícia e os bombeiros, tratavam-se de botas, calça, chinelo, além de um cartão saúde do indigenista. Já do jornalista britânico eles acharam uma mochila e botas, um notebook e sandálias.

Os itens pessoais estavam amarrados em uma árvore na área de igapó, caminho onde eles desapareceram.

Suspeito preso

Um suspeito de envolvimento no desaparecimento do jornalista britânico Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira foi preso na última terça-feira (7/6). Amarildo da Costa de Oliveira, 41 anos, conhecido como “Pelado” foi detido em flagrante pela Polícia Federal após encontrarem vestígios de sangue em sua embarcação.

Ele foi preso durante uma abordagem por posse de drogas e munição calibre 762, de uso restrito. Ele também estava portando armamento de caça. Assim que detido, a polícia o considerou suspeito no caso.

Veja Também