Controladoria tem ranking sobre risco de corrupção

A medida tem como objetivo reunir informações e posicionar unidades administrativas do governo para identificar fragilidades

Postado em: 04-02-2016 às 00h00
Por: Redação
A medida tem como objetivo reunir informações e posicionar unidades administrativas do governo para identificar fragilidades

AControladoria-Geral do Estado elaborou no mês de janeiro o primeiro ranking sobre Mapeamento de Risco de Corrupção (MRC) nos órgãos/entidades do Poder Executivo. A medida tem como objetivo reunir as informações e posicionar as diversas unidades administrativas na tarefa de identificar fragilidades e mapear riscos de corrupção em processos organizacionais e de serviços, como determina o Decreto nº 7.905 de 11 de junho a 2013 e a Instrução Normativa nº 01 de 2015 da Controladoria.

O ranking elaborado pela CGE foi relativo ao segundo semestre de 2015, no qual o Ipasgo ficou em primeiro lugar, com o mapeamento e implementação de planos de melhoria em 12 processos organizacionais e de serviços. Outros três órgãos também foram destaque: Iquego, com mapeamento de sete processos; Gabinete Militar e Saneago, com seis processos cada um. Outros 15 órgãos/entidades mapearam pelo menos cinco processos, conforme determina a Instrução Normativa nº 01 da CGE. Agência ABC, Polícia Militar, AGR, Celg GT, Sefaz, Goiás Fomento e Segurança Pública e Administração Penitenciária não atingiram a meta, mas realizaram o mapeamento de alguns processos.

O ranking apontou também os órgãos/unidades com pior desempenho, já que não aplicaram a metodologia e não mapearam processos. São eles: Agetop, Agrodefesa, Detran, Goiás Turismo, Juceg, Metrobus, Procuradoria Geral do Estado, Polícia Civil, Segplan, Secretaria de Saúde e Universidade Estadual de Goiás. O ranking está publicado no Portal da Transparência do Governo de Goiás (www.transparencia.go.gov.br).

Continua após a publicidade

Novo aplicativo

A CGE desenvolveu um novo aplicativo para registro e acompanhamento do Mapeamento de Risco de Corrupção nos órgãos/entidades do Governo. A nova ferramenta foi apresentada durante reunião realizada em 29 de janeiro no auditório Jaime Câmara do Palácio Pedro Ludovico Teixeira, com participação de representantes de todas as unidades. O aplicativo, que será utilizado pela CGE e pelos órgãos, é mais rápido e de melhor usabilidade, porque permite reposicionar elementos com mais facilidade.

Também foram corrigidas falhas crônicas existentes no aplicativo antigo e inseridas diversas seções novas como etapa de cadastro de planos de melhoria, acompanhamento do plano de melhoria e certificação de processos. Mais ainda: foram criados novos e reformatados todos os relatórios do sistema, facilitando o trabalho dos servidores envolvidos no processo.

Treinamento

A CGE, por meio da Superintendência Central de Transparência Pública, vai ministrar nova etapa de treinamento para servidores envolvidos com a aplicação da metodologia de Mapeamento de Risco de Corrupção nos órgãos/unidades do Governo Estado. O conteúdo é focado na correta aplicação da metodologia e também na elaboração de plano de melhoria após mapeamento dos processos.

A capacitação será ministrada no período de 22 a 26 deste mês, na Escola de Governo Henrique Santillo, com participação de 15 servidores. O grupo ainda não está fechado, mas já manifestaram interesse em enviar servidores órgãos como Segplan, Metrobus, Polícia Militar e Junta Comercial. A cada semestre, a CGE elabora relatório geral dos resultados relativos ao mapeamento de risco de corrupção, que é encaminhado ao chefe do Poder Executivo. 

Veja Também