Paulo Garcia reage a críticas da oposição

Quatro dias após o início da propaganda eleitoral no rádio e na televisão, o prefeito Paulo Garcia (PT) sai a campo para defender a sua administração

Postado em: 31-08-2016 às 06h00
Por: Redação
Quatro dias após o início da propaganda eleitoral no rádio e na televisão, o prefeito Paulo Garcia (PT) sai a campo para defender a sua administração

Quatro dias após o início da propaganda eleitoral no rádio e na televisão, o prefeito Paulo Garcia (PT) sai a campo para defender a sua administração, que tem sido alvo de duras críticas, principalmente de Iris Rezende (PMDB), Delegado Waldir (PR), Vanderlan Cardoso (PSB) e Francisco Júnior (PSD).
O petista aproveitou a visita que fez ontem às obras do Parque Linear Macambira Anicuns, com convite formal à imprensa, para rebater declarações dos prefeitáveis. De início, ele disse esperar que os candidatos tenham o desejo de conhecer o projeto e darem continuidade à obra, afirmando que há recursos suficientes em caixa.
No entanto, Paulo Garcia diz ter observado manifestações dos candidatos que, segundo ele, mostram total desconhecimento das questões atinentes à cidade. Afirmou, por exemplo, que os adversários sequer noção da localização do Macambira-Anicuns. “As pessoas, para administrar Goiânia, precisam, primeiro, conhecê-la, e, segundo, respeitar o trabalho de quem trabalhou muito”.
Em toda a sua extensão, de 24 quilômetros, o Programa Urbano Ambiental Macambira Anicuns beneficiará diretamente mais de 130 bairros e 350 mil pessoas. A gestão do prefeito Paulo Garcia estima que até o fim do mandato serão concluídos 30% do total das obra.
Para o petista, trabalhar é também pisar em lama do parque, como o fazia naquele momento, junto com repórteres que o acompanhavam no visita. “Não é trabalhar dentro de um condomínio de luxo, fechado, cercado com toda segurança ou morando em coberturas milionárias”, disse em referência a Vanderlan e a Iris, respectivamente. “Isso é trabalho. Acho que eu estou a merecer respeito, como gosta de afirmar um candidato”, pontuou mais uma vez, referindo-se ao ex-aliado.
A lua de mel entre Paulo e Iris teve fim no início deste ano, com o agravamento das relações entre os dois políticos, por conta de divergências entre os partidos aos quais pertencem. PT e PMDB selaram aliança político-eleitoral nas eleições de 2008, com o petista na vice do peemedebista. Em março de 2010, Iris renunciou ao mandato para disputar o governo do Estado. No pleito de 2012, o PMDB apoiou a reeleição do aliado, e teve reciprocidade em 2014, nas eleições estaduais.
Foto: reprodução 

Veja Também