Prefeito de Cerro Grande do Sul é flagrado pela Polícia Federal com R$ 500 mil, em aeroporto de Congonhas

Gilmar João Alba afirma que quantia "nem dá para comprar um carro bom"

Postado em: 03-09-2021 às 15h40
Por: Maria Paula Borges
Gilmar João Alba afirma que quantia "nem dá para comprar um carro bom" | Foto: Reprodução

O prefeito de Cerro Grande do Sul (RS), Gilmar João Alba (PSL), mais conhecido como gringo, foi flagrado pela Polícia Federal no aeroporto de Congonhas em 26 de agosto portando R$ 500 mil. Gilmar afirmou em entrevista à Rádio Gaúcha que o valor ‘nem dá para comprar um carro bom’. O prefeito se recusou a responder com qual finalidade usaria o dinheiro e ameaçou deixar a entrevista caso a jornalista insistisse.

Segundo o prefeito, ele estava com a quantia para eventual oportunidade de negócios. “Eu ando com esse dinheiro para uma eventual oportunidade de negócios. Como é declarado, e diz na Receita que é declarado, anda em qualquer parte do Brasil. Então, eu ando com meu dinheiro para onde eu quiser”, declarou o prefeito.

O dinheiro estava sendo transportado em caixas de papelão e foi descoberta durante uma inspeção por meio de raio X. “Eu boto o dinheiro onde quiser: na caixa de papelão, no sapato. É meu. Não quer dizer que tudo o que eles dizem é verdade”, disse.

Continua após a publicidade

O caso fez com que senadores integrantes da CPI da Covid-19 solicitassem ao presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM), que comunique o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, sobre os indícios de financiamento de possíveis atos antidemocráticos previstos para o feriado de 7 de setembro, em Brasília.

O pedido partiu do senador Humberto Costa (PT-PE) que denunciou a apreensão. “Temos indícios de que esse recurso viria para financiar esse ato contra a democracia, no dia 7 de setembro. Mas não somos nós que vamos investigar. Por isso, peço que envie ao ministro Alexandre de Moraes para que ele possa tomar as medidas cabíveis”, pontuou o petista.

Veja Também