CEO da Ipiranga: “Não dá para fazer milagre” para baixar os preços dos combustíveis

O presidente do grupo Ipiranga, Marcelo Araújo, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo afirmou que “Não dá para fazer

Postado em: 23-09-2021 às 11h55
Por: Nielton Soares
Ao Estadão, o empresário Marcelo Araújo cita que a tributação brasileira é a mais complexa do mundo e a discussão é mais política | Foto: reprodução

O presidente do grupo Ipiranga, Marcelo Araújo, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo afirmou que “Não dá para fazer milagre” para a redução de preços dos combustíveis. Para ele, os preços altos afetam muito a sociedade e por isso se torna “um tema político” explorável.

O executivo explicou que para mexer em preços seria necessário alteração no sistema de tributação do setor, em especifico, o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), principal item que tem causado muitas polêmicas entre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e a maioria dos governadores.

Na semana passada, 20 governadores assinatura carta repudiando as atuais acusações do Bolsonaro. Segundo Marcelo, a simplificação de impostos seria uma solução estrutural para baixar os preços. “Temos o sistema de tributação de transferências mais complexo do mundo”, comentou o CEO da Ipiranga.

Continua após a publicidade

O empresário frisa que este é o melhor momento para a discussão, uma vez que todos estão sentindo na pele. “Combustível é a principal fonte de receita dos Estados. Não adianta colocar a culpa no petróleo. O barril está a US $ 73. A média dos últimos dez anos foi de US $ 70”, cita.

Unificação

Há dos projetos de lei (PL), inclusive de iniciativa do Governo Federal, para a unificação das alíquotas de ICMS. O intuito é torna-lo fixo por volume e não mais em cascata em toda a cadeia.

Veja Também