Lula responde a ataques de Ciro e diz que Covid pode ter afetado sanidade mental do pedetista

Postado em: 14-10-2021 às 15h12
Por: Giovana Andrade
"Não é possível que um homem que pleiteia a Presidência da República possa falar as baixarias que ele falou ontem", afirmou o petista sobre o ex-aliado, que atacou também a ex-presidenta Dilma Rousseff. | Foto: Reprodução

O ex-presidente Lula (PT) rebateu, nesta quinta-feira (14/10), a declaração do também presidenciável Ciro Gomes (PDT), que afirmou que o petista teria conspirado a favor do impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff (PT).

Embora o pedetista tenha sugerido uma trégua com o PT em nome do impeachment de Jair Bolsonaro, e membros do PT e do PDT tenham minimizado o efeito da nova briga sobre a formação de uma frente ampla, o episódio agravou o afastamento entre as alas da esquerda.

“Eu não vou falar do Ciro. O que ele fez ontem foi tão banal, foi tão grosseiro, que às vezes eu fico pensando, como Jesus Cristo na cruz dizia: ‘Pai, perdoai os ignorantes, eles não sabem o que fazem'”, disse Lula à rádio Grande FM de Dourados (MS).

“Eu às vezes fico pensando, não sei se o Ciro teve Covid ou não, mas me disseram que quem tem Covid tem problemas de sequelas, alguns têm problema no cérebro, de esquecimento, eu não sei. Mas não é possível que um homem que pleiteia a Presidência da República possa falar as baixarias que ele falou ontem”, continuou o ex-presidente. Ciro teve Covid em outubro de 2020, quando divulgou ter testado positivo após apresentar sintomas leves de gripe.

“Eu só lamento profundamente que seja assim. Eu só não sei o que ele está querendo, mas quem planta vento colhe tempestade”, completou Lula.

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo nesta quarta (13), Ciro inaugurou um novo capítulo na história recente de afastamento entre Lula e o pedetista, que fez duras críticas ao PT e responsabilizou Lula e Dilma pela eleição de Bolsonaro.

“Hoje eu estou seguro que o Lula conspirou pelo impeachment da Dilma”, disse Ciro. “Eu atuei contra o impeachment e quem fez o golpe foi o Senado Federal. Quem presidiu o Senado? Renan Calheiros. Quem liderou o MDB nessa investida? O Eunício Oliveira. Com quem o Lula está hoje?”, questionou, mencionando alianças recentes do petista.

A declaração veio após a proposta de Ciro de “uma trégua de Natal”. Depois de ter sido vaiado e alvo de pedaços de pau na manifestação pelo impeachment no dia 02 de outubro, o pedetista defendeu que era preciso acalmar os ânimos das militâncias e promover entendimento em torno do impeachment de Bolsonaro.

A fala de Ciro gerou conflito com Dilma nas redes sociais ainda na quarta-feira (13), com a petista respondendo que a afirmação do político era uma mentira descarada. “Ciro Gomes está tentando de todas as formas reagir à sua baixa aprovação popular. Mais uma vez mente de maneira descarada, mergulhando no fundo do poço. O problema, para ele, é que usa este método há muito tempo e continua há quase uma década com apenas 1 dígito nas pesquisas”, ela escreveu.

Ao que o presidenciável do PDT respondeu: “Na vida nunca menti. Mas errei algumas vezes. Uma delas quando lutei contra o impeachment de uma das pessoas mais incompetentes, inapetentes e presunçosas que já passaram pela presidência. Claro, que estou falando de você, Dilma”.

Ciro afirmou ainda que Lula foi um dos maiores responsáveis pela desestabilização de Dilma e que os dois “se merecem”. Dilma voltou a responder, afirmando que Ciro tem “enorme presunção” e que sua visão é “misógina”.

“Para além disso, Ciro sistematicamente distorce os fatos. E, nisso, não se difere em nada de Bolsonaro. Ambos adoram quando os alvos de suas agressões reagem. Precisam disso para obter likes e espaço na mídia. […] Lamento ter, em algum momento, dado a Ciro Gomes a minha amizade”, publicou a ex-presidenta.

Compartilhe: