Sob compromisso com a jovem advocacia, Rafael Lara assume a presidência da OAB-GO

Postado em: 14-01-2022 às 09h47
Por: Felipe Cardoso
Dentre os compromissos do advogado para os próximos anos está a busca pela abertura de novos escritórios e a promoção de uma OAB-GO “mais plural” | Foto: Reprodução

O advogado trabalhista Rafael Lara é, oficialmente, o novo presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Secção Goiás (OAB-GO). O jurista foi consagrado como tal durante cerimônia de posse realizada no CEL da OAB na noite da última quinta-feira (13/1). Além do presidente, tomaram posse também cinco novos diretores e 44 conselheiros seccionais titulares. O grupo estará à frente da Ordem ao longo do próximo triênio, que se estenderá até o ano de 2024. 

Conforme adiantado pelo O Hoje, o discurso de posse foi, de fato, marcado pela promessa de enfrentar a proletarização da advocacia, antes considerada uma profissão das elites. A ideia é incentivar os novos profissionais que saem da universidade e ingressam na OAB-GO — são quase 4 mil por ano — com poucas perspectivas profissionais. 

Participaram do evento representantes do Conselho Federal, Governo de Goiás, Assembleia Legislativa, Tribunal de Justiça, Ministério Público, Tribunais Superiores e outras entidades. A diretoria é composta por Rafael Lara Martins, presidente; Thales José Jayme, vice-presidente; Talita Hayasaki, secretária-geral; Fernanda Terra, secretária-geral adjunta; Eduardo Cardoso Jr, tesoureiro.

Ainda na mesma solenidade, tomaram posse o presidente da Caixa de Assistência (Casag), Jacó Carlos Coelho, que ocupou o cargo de secretário-geral da OAB-GO nas últimas duas gestões; Néli Cárita Máximo Figuerêdo, como vice-presidente; Daniella Granjeiro Kafuri, secretária-geral; Rodrigo Guedes, diretor-tesoureiro; e demais diretores adjuntos. 

A chapa Compromisso OAB foi consagrada vencedora da disputa que se encerrou em 19 de setembro do ano passado, quanto Lara venceu a eleição com 39,57% dos votos válidos. Com 100% das urnas apuradas, o segundo colocado foi Pedro Paulo Medeiros com 34,11%. Depois, Rodolfo Mota com 14,92% e, por fim, Valentina Jungmann com 11,40%. Ao todo, foram 18.966 votos computados, o que equivale a 25,77% do eleitorado. Outros 25,77% não compareceram. O percentual equivale a 6.583 advogados faltosos. Dos votantes, 252 votaram branco e 320 nulo. 

Logo após a vitória, o jurista escreveu nas redes sociais: “Hoje celebramos o início de um novo ciclo para a advocacia do estado de Goiás. Graças ao trabalho incansável da chapa que tem Compromisso com a OAB, continuaremos a modernizar a nossa instituição e a construir um caminho repleto de oportunidades para todos, sempre com a seriedade e a coerência que exige o exercício da advocacia”. 

E continuou: “Agradeço a todos os advogados e advogadas que confiaram essa responsabilidade a mim e a esse time excelente de profissionais que compõem a nossa chapa. De uma coisa vocês podem ter certeza: nós estamos preparados para entrar de cabeça em cada uma das nossas propostas”.

Na mesma mensagem de agradecimento, o futuro presidente da Ordem prometeu, ainda, lutar pela redução das custas judiciais, por uma Ordem mais plural, pela ampliação da Comissão de Prerrogativas, pelo auxílio e orientação à abertura de novos escritórios, pelo combate à violência contra a mulher, “e uma série de iniciativas que fizeram do nosso projeto o mais qualificado para atender os anseios dos profissionais de todo o estado”, acrescentou. 

Trajetória

A campanha, que se arrastou por pouco mais de um mês, teve início em 6 de outubro com o registro das chapas concorrentes. Mas, conforme mostrado pela reportagem do Jornal O Hoje, em meados de agosto já era possível observar os pré-candidatos se movimentando pela capital e interior do estado pautados pela ideia de angariar votos pelos quatro cantos do estado. 

A princípio, eram cinco concorrentes na disputa: Rafael Lara Martins, Pedro Paulo de Medeiros, Rodolfo Otávio Mota, Valentina Jungmann Cintra e Julio Cesar de Meirelles. Porém, como já previsto, as conversações avançaram com o esquentar do pleito e alianças foram formadas. 

Em 17 de setembro, os dois últimos citados resolveram se unir e formar uma única chapa: “OAB pra [email protected]”. Valentina Jungmann manteve candidatura e Júlio César foi indicado ao comando da Casag na composição do grupo. Os demais juristas mantiveram suas candidaturas encabeçando as seguintes chapas: ‘Compromisso OAB’, ‘Muda OAB’ e ‘Ordem Unida’, respectivamente.

Nos bastidores, a eleição de 2021 foi tida como atípica ante a divisão em quatro diferentes grupos. Isso porquê os advogados Rodolfo e Valentina terminaram eleitos no ano de 2018 na chapa encabeçada pelo atual presidente da Ordem, Lúcio Flávio, porém, mais tarde, acabaram se dividindo em chapas distintas. Rafael Lara, no entanto, seguiu voo solo como o candidato da situação apoiado pelo atual presidente à sucessão da OAB-GO.

Dias depois de ter sido eleito para o comando da advocacia, Lara conversou com a reportagem sobre a mágoa dos insatisfeitos e assegurou que sequer aguardaria a posse para convergir forças. “Nem precisa da posse. Desde o dia 20 de novembro. No dia seguinte às eleições, tenho dito repetidamente que não existe mais cor, não existe mais chapa, não existe mais número. A advocacia é uma só. A política institucional não é feita de partidos políticos. Aquelas ligações que existiam durante a campanha, são ligações independentes em torno de um projeto, em torno de algo que se acredita.

A advocacia não pode, segundo ele, permitir que aconteça com ela o que se vê na sociedade: um dualismo, rivalidade e polarização de forças. “Somos uma classe que deve permanecer unida e nossa gestão vai ser, de fato, voltada à toda a advocacia, independentemente de qualquer situação ocorrida nas eleições”.

Compartilhe: