Caiado segura Lissauer na base com coordenação da campanha ao governo

O convite foi oficializado em reunião no diretório do PSD, na segunda-feira (7/8), em Goiânia

Postado em: 09-08-2022 às 07h50
Por: Izadora Resende
Em concordância com a fala do governador, Vilmar Rocha ressaltou que o convite a Lissauer é um simbolismo e um gesto político importante para o PSD | Foto: Reprodução

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (União Brasil), oficializou na segunda-feira (7/8), o convite ao deputado estadual Lissauer Vieira (PSD), presidente da Assembleia Legislativa de Goiás, para que ele assuma a coordenação geral da campanha de reeleição ao governo do Estado.

O evento que aconteceu na sede do diretório estadual do PSD, em Goiânia, contou com a participação do governador Ronaldo Caiado, do candidato a vice-governador, Daniel Vilela (MDB), bem como da cúpula do partido e do presidente estadual, Vilmar Rocha. 

Questionado sobre a escolha, Caiado explicou porquê Lissauer. “Escolhi porque posso, mais que ninguém, dizer o que ele foi no meu governo. Ele foi eleito e reeleito presidente da Assembleia Legislativa, e independente de questão partidária, quando ele se posiciona, tem o apoio da maioria. Até mesmo a oposição respeitou as posições dele como presidente daquela Casa”, pontuou.

Continua após a publicidade

Em concordância com a fala do governador, Vilmar Rocha ressaltou que o convite a Lissauer é um simbolismo e um gesto político importante para o PSD. “Nós agradecemos esse gesto, que é importante para o nosso partido e para a nossa coligação”, disse. “Lissauer tem todas as qualificações para ser coordenador dessa campanha. Se não fosse ele, talvez este ato aqui não estivesse acontecendo”, completou. 

O presidente da Alego não só aceitou o convite, como afirmou que fará o possível para somar à campanha de Caiado. “Não vou medir esforços para trabalhar, para ajudar, e para convergir, buscar pessoas que queiram contribuir com esse projeto de melhorar o estado de Goiás. Não terei dificuldades de dialogar e agregar cada vez mais por essa campanha, que é vitoriosa”, destacou.

O convite para coordenar a campanha de Caiado chegou em momento importante para selar a permanência do presidente da Alego na base caiadista, após alguns ruídos políticos.

Atritos

Na última quarta-feira (3/8), Lissauer Vieira desistiu da pré-candidatura ao Senado. A informação foi confirmada por meio de nota oficial, onde o deputado estadual apresentou as justificativas para não seguir no projeto. Lissauer destacou a morte do pai, Sr. Carlos Vieira, como uma das razões para não ter se lançado, à época, nem mesmo à reeleição na Alego ou à Câmara dos Deputados. 

“Quem acompanha o meu trabalho sabe que no início do ano perdi meu pai e desde então, tomei a decisão de não ser candidato nesse pleito eleitoral. Foi uma decisão dura, que me fez refletir bastante, mas eu estava certo de que naquele momento não conseguiria cuidar das minhas atividades particulares e exercer uma função pública com a dedicação que eu acredito ser necessária. Optei por recuar do então projeto a deputado federal”, explicou. 

Contudo, as movimentações políticas foram acontecendo, e em Abril, quando se filiou ao PSD, Lissauer decidiu lançar o nome na disputa ao Senado. Mas, sem o apoio direcionado de Caiado e com a força das candidaturas avulsas, desistiu da pré-candidatura. 

“Ocupei o espaço a pedido do PSD, considerando a aliança da legenda com a chapa majoritária para a reeleição do governador Ronaldo Caiado. Mas diante da decisão de candidaturas avulsas ao Senado Federal, entendemos, em conjunto, que o momento é de união e fortalecimento da chapa, não de divisão”, disse em nota.

TCM

Nos bastidores, o comentário é que o governador Ronaldo Caiado teria firmado um acordo com Lissauer, para ajudá-lo a ingressar em uma vaga no Tribunal de Contas do Município (TCM), no lugar de Valcenor Braz, em 2023.

Veja Também