Mendanha é primeiro registrar candidatura no TSE; confira o patrimônio declarado

Vice de Gustavo, Heuler Cruvinel informou R$ 2.569.252,05 à Justiça Eleitoral

Postado em: 11-08-2022 às 08h15
Por: Francisco Costa
Ex-prefeito de Aparecida de Goiânia Gustavo Mendanha foi o primeiro candidato ao governo de Goiás a declarar o patrimônio no Tribunal Superior Eleitoral | Foto: Reprodução

O ex-prefeito de Aparecida de Goiânia Gustavo Mendanha (Patriota) foi o primeiro candidato ao governo de Goiás a declarar o patrimônio no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ao Divulga Contas, do TSE, constam R$ 946.133,99 em bens. A declaração foi realizada na terça-feira (9/8). Até a manhã de quarta-feira (10/8), ele ainda era o único no site – no começo da tarde, o postulante do Novo, Edigar Diniz, informou cerca de R$ 1 milhão, enquanto o vice dele, Jamil Said, R$ 4,4 milhões.  

Na discriminação dos bens de Mendanha constam: um apartamento (R$116.914); depósito bancário em conta-corrente no País (R$ 10.775,86); depósito bancário em conta-corrente no País (R$ 3.330,72); terreno (R$ 19.900,85); veículo automotor terrestre: caminhão, automóvel, moto, etc. (R$ 106.500); depósito bancário em conta-corrente no País (R$ 4.368,01); depósito bancário em conta-corrente no País (R$ 1.522); casa (R$ 294.000); casa (R$ 360.733,66); e mais um terreno (R$ 28.088,89).

O próprio Gustavo anunciou o registro da candidatura com a declaração de patrimônio. “Disseram que eu não teria partido, disseram que eu renunciaria, disseram que eu não teria chapa, disseram que eu não seria candidato… Candidatura registrada. E agora, o que vão dizer?”, escreveu no Twitter.

Continua após a publicidade

Vale citar, em 2020, quando disputou à reeleição para prefeito de Aparecida, Gustavo declarou R$ 368.435,31. À época, ele listou depósitos bancários, uma casa e um apartamento. 

Vice de Mendanha

Da mesma forma, também consta a declaração de bens do candidato a vice de Mendanha, o ex-deputado federal Heuler Cruvinel (Patriota). O patrimônio do político no TSE é de R$ 2.569.252,05.

No detalhamento: depósito bancário em conta-corrente no País (R$ 1.235,14); apartamento (R$ 310.000); apartamento (R$ 300.000); outras aplicações e investimentos (R$ 105.000); outras aplicações e investimentos (R$ 10,00); apartamento (R$ 320.000); outras aplicações e investimentos (R$ 68.624,95); outras aplicações e investimentos (R$ 7.358,15); depósito bancário em conta-corrente no País (R$ 70.966,70); apartamento (R$ 315.000); outros bens imóveis

(R$ 1.000.000); outras aplicações e investimentos (R$ 797,41); outras aplicações e investimentos (R$ 10,00); consórcio não contemplado (R$ 70.249,70). 

Tanto a situação da candidatura da chapa, quanto do partido e coligação estão aguardando julgamento. A campanha, de fato, só começa em 16 de agosto. As eleições serão em 2 de outubro.

Convenção

Na última sexta-feira (5), o Patriota oficializou Gustavo Mendanha na disputa ao governo de Goiás, Heuler Cruvinel na vice e o deputado federal João Campos (Republicanos) ao Senado. No dia, ao lado da esposa, Mayara Mendanha, o ex-prefeito de Aparecida confessou que estava “ansioso” para  consolidar os nomes que compõem a chapa. 

Questionado sobre a escolha de Heuler, Gustavo afirmou que buscava alguém que desse sustância à chapa. “Heuler é do agro, vai trazer essa representação para a nossa campanha, além de somar muito nesse processo eleitoral”, explicou. Mendanha também ressaltou a questão religiosa, quando afirmou que ele e João Campos são evangélicos, mas gostariam de ter um nome católico no grupo. 

Campos, por sua vez, destacou o tom da campanha. “Nós vamos fazer uma campanha alegre, limpa, respeitosa e de muito diálogo. Eu e Gustavo Mendanha estamos com o mesmo próposito, mesmo projeto, a mesma vontade e o mesmo compromisso com a nossa gente, então estaremos juntos em toda a campanha.”

Levantamento

Vale citar, o último levantamento do Instituto de Pesquisa de Opinião e Mercado FoxMappin, do grupo O HOJE (28/7), mostra que o governador Ronaldo Caiado (União Brasil) segue na dianteira com 34,1% das intenções de voto. Em segundo lugar vem Gustavo Mendanha, com 23%, e Vitor Hugo (PL) com 14,3%.

Como o ex-governador Marconi Perillo (PSDB) ainda não tinha definido disputa ao Senado, ele ainda aparecia com 8,8% das intenções de voto. Depois, com 4,8%, Cintia Dias (Psol). 2,93% apontaram Wolmir Amado (PT) como favorito, e, por fim, 0,20% depositaram a confiança em Edigar Diniz. Do total, 9,07% dos entrevistados não souberam responder ou preferiram não opinar. 2,24% disseram que vão votar branco ou nulo. 

A pesquisa do Instituto FoxMappin foi realizada entre os dias 18 e 22 de julho. Para aferição dos resultados foram entrevistadas 1.025 pessoas residentes em Goiás e maiores de 16 anos. O levantamento foi realizado por meio de entrevistas pessoais, telefônicas e com formulários digitais enviados a grupos segmentados. Ao todo, 110 municípios goianos foram consultados. A taxa de confiança dos números é de 95%. A margem de erro é de 3% para mais ou menos. 

A maior fatia dos entrevistados pelo FoxMappin possui de 40 a 59 anos (44,2%). Na sequência aparecem os eleitores com idade entre 25 e 39 anos (36,4%). De 16 a 24 anos foram 11,3% dos entrevistados. Com mais de 60, 7,9%. Quanto à escolaridade, a maior fatia (41,7%) possui ensino superior completo. 24,3% possuem ensino médio completo e outros 13,8% declararam superior incompleto quando questionados. Médio incompleto soma 7,1% dos entrevistados. Na sequência aparecem fundamental completo (6%) e fundamental incompleto (4,9%). Declarados analfabetos foram 0,4% e 1,3% disseram ler e escrever. A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitora (TRE-GO) sob n° GO-01212/2022.

Três candidatos ao Senado de Goiás já declararam patrimônio ao TSE

Em Goiás, três candidatos ao Senado de Goiás já fizeram o registro no TSE e declararam os bens até a manhã de quarta-feira. Dois deles são da base do governador Ronaldo Caiado (União Brasil): o deputado federal Waldir Soares (União Brasil) e o presidente estadual do PP Alexandre Baldy. O terceiro é o ex-governador Marconi Perillo (PSDB). 

Alexandre Baldy declarou R$ 3.162.750,91. Os maiores valores são um apartamento de R$ 1,325 milhão e outro R$ 1 milhão em “créditos e poupança vinculados”. O delegado Waldir, por sua vez, informou R$ 1.104.283,79 em bens. Entre os itens, constam duas casas: uma de R$ 480 mil e outra de R$ 30 mil. 

Já o ex-governador Marconi Perillo declarou o maior valor patrimonial: R$ 7.352.616,86. Os itens mais caros são dois apartamentos, sendo um de R$ 2.167.143,30 e outro R$ 1.577.149,54.

Veja Também