Empresa americana lança fita adesiva para mulheres empinarem os seios

Basicamente a fita para seios funciona para empinar os seios quando precisarem usar uma blusa ou top com alças finas, tomara que caia e também decotes profundos como os de forma 'V'.

Postado em: 13-07-2022 às 14h47
Por: Victória Vieira
Basicamente a fita para seios funciona para empinar os seios quando precisarem usar uma blusa ou top com alças finas, tomara que caia e também decotes profundos como os de forma 'V' | Foto: Divulgação/ Nue

Na quarta-feira (6/7), o jornal New York Times postou uma matéria sobre o “Boob Tape“, isto é, fita adesiva para os seios. A jornalista Madeleine Aggeler investigou e relatou o motivo das mulheres estarem substituindo o sutiã por essa nova tática.

Basicamente a fita para seios funciona para empinar os seios quando se usa uma blusa ou top com alças finas, tomara que caia e também decotes profundos como os de formato em ‘V’. Nessa situação, a maioria das mulheres ficam desconfortáveis em usar sutiã, mas principalmente, quando não usam, se preocupam com os seios caídos, algo que é natural.

Por isso, a solução mais viável são as ‘Boob tape’. Essa tática já vem sendo usada por várias famosas e influencers, inclusive a estrela de reality show mais conhecida de Hollywood, Kim Kardashian. A fita adesiva para seios é o “segredo” usado pela celebridade nos tapetes vermelhos, chegando a ser uma peça vendida pela sua grife Skims, em 2019, mas o produto não está mais à venda.

Continua após a publicidade

“Mas esteja preparada para a dor quando chegar a hora de tirar, LOL”, alertou Kim ao compartilhar uma foto antiga dela usando a fita adesiva.

Ao usar fita industrial nessas ocasiões, elas podem gerar dor, irritação cutânea e sangramento epidérmico. É exatamente por isso que Stephanie Montes, antiga editora de beleza e moda, criou a Nue (empresa de fita adesivas para seios).

A criação

De acordo com a reportagem do NY Times, Montes sentia queimações e dores insuportáveis utilizando as fitas, além de não sentir-se bem com as peças. “Fiquei me perguntando por que tinha feito algo tão péssimo para o meu corpo. Minha sensação foi a de que aquele produto não era para mim.”, desabafou. “Mas se eu pudesse me basear naquilo e criar uma fita que fizesse sentido para todo mundo, e que fizesse com que todo mundo se sentisse incluído, achei que teria uma boa oportunidade” informou a editora.

Levou vários meses para ela chegar a algo que funcionasse e fosse confortável para mulheres. A maior preocupação de Stephanie seria fazer algo útil para todos os formatos de seios e tons de pele. Apesar de ser uma empresa pequena, a Nue está a venda em sites de moda e varejo progredindo cada vez mais nos lucros.

O motivo de ser tão interessante e inovador é que esse método pode ser caracterizado como flexível. Diversas mulheres podem adequar e usarem do jeito que quiserem, sem restrições. O maior benefício, segundo a reportagem, é o levantamento natural dos seios, ou seja, sem precisar de cirurgias plásticas como a maioria tem feito hoje. O objetivo é dar uma nova perspectiva de vida às mulheres, renovar a autoestima e devolver a juventude de um busto firme.

Um dos modelos da Boob Tape | Foto: Divulgação/ Nue

“A fita adesiva permite que os seios pareçam mais empinados sem necessidade de cirurgia, dizem as empresas que as vendem. A Nue chega a definir um de seus produtos como ‘uma plástica de seios portátil’, embora Montes ressalte que ‘é importante sermos mais gentis conosco, e aceitarmos melhor o tipo de corpo que temos’ “, destaca a reportagem.

Sutiãs substituídos

Pode ser que esse método substitua o sutiã, que muitas das vezes é inflexível e desconfortável. Assim, nasce um novo método de sucesso na indústria da moda voltada para peças íntimas, principalmente para os fabricantes e vendedores da fita.

Esse foi o caso da Nataree Leelapatree, fundadora da empresa Boob Tape, criada em 2020. Durante o mês de maio, ela teve um faturamento de US$ 60 mil, equivalendo a R$ 315 por peça.

A jornalista da reportagem alerta que os resultados são promissores e seguros, afinal, para dar credibilidade à reportagem ela testou as fitas de seios e ficou feliz com a sensação causada pela peça.

“A sensação de ter os seios livres e contidos ao mesmo tempo era libertadora. Meu dia parecia ter muito mais tempo livre por eu não precisar reajustar constantemente um sutiã velho que consegue a façanha de parecer frouxo e apertado demais ao mesmo tempo.”, relatou.

Veja Também