Programa Mães de Goiás: distribuição de cartões começa na próxima semana; veja cronograma

Cronograma inicial prevê atendimento de 100 mil famílias em Goiás

Postado em: 03-02-2022 às 18h31
Por: Maria Paula Borges
Cronograma inicial prevê atendimento de 100 mil famílias em Goiás | Foto: Hegon Corrêa

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Seds) e do Gabinete de Políticas Sociais (GPS), iniciará a distribuição de quase 30 mil cartões do Programa Mães de Goiás, benefício que contempla com R$ 250 mães com filhos de até seis anos de idade e em situação de vulnerabilidade social. A previsão é que as novas entregas comecem na próxima segunda-feira (7/2) e sigam até o final de março, completando o cronograma inicial de atendimento a 100 mil famílias em Goiás.

No total, 151 municípios irão receber o benefício nesta nova etapa, sendo que, apenas na próxima semana, 22 cidades serão contempladas. As cidades previstas para receber o programa no período são Mundo Novo, Novo Planalto, Mutunópolis, Estrela do Norte, Santa Tereza de Goiás, Trombas, Campinaçu, Mara Rosa, Alto Horizonte, Nova Iguaçu de Goiás, Campinorte, Uruaçu, Hidrolina, Campos Verdes, Crixás, Guarinos, Brazabrantes, Araçu, Campestre, Guapó, Damolândia e Avelinópolis.

Segundo o governador Ronaldo Caiado, as mães de Goiás não contavam com o apoio do ponto de vista de ajuda financeira para alimentação dos filhos. “Agora, graças a esse programa, essas famílias podem garantir o suporte na primeira infância, que é a etapa da vida em que a criança mais precisa de segurança alimentar e apoio. Assim, garantimos o desenvolvimento cognitivo e intelectual para que, na vida adulta, essa mesma criança não fique para trás e tenha bons resultados na escola e no mercado de trabalho”, destaca.

Continua após a publicidade

Em 2021, a administração estadual encerrou o ano com 70 mil famílias beneficiadas em 90 municípios goianos. Por meio do Fundo de Proteção Social do Estado de Goiás (Protege Goiás), o aporte total é de R$ 219 milhões.

As mulheres beneficiadas pelo programa deixam os eventos organizados pela Seds em parceria com as prefeituras já com o cartão em mãos e o saldo disponível para compra de mantimentos e remédios em estabelecimentos cadastrados. Caso as mães tiverem perdido os eventos elas não perderam o benefício, o cronograma montado pela Seds prevê que as equipes estaduais retornaram às cidades para realizar a entrega do restante dos cartões.

O benefício é pago por transferência de renda direta e utiliza o Cadastro Único do Governo Federal (CadÚnico) como base de dados.

De acordo com a primeira-dama Gracinha Caiado, presidente de honra da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) e coordenadora do GPS, o programa dialoga com o plano estratégico da área social da administração de Goiás e garante renda extra para quem precisa. “Investir nas mães de Goiás é investir em todo o Estado. Investir em nossas mães é investir na primeira infância e na família goiana. Este é um programa que não há favorecimentos, nem conchavos. É um direito de todos e não de escolhidos”.

O objetivo do Mães de Goiás é garantir segurança alimentar, fomentar renda, oferecer qualidade de vida e assegurar a permanência das crianças nas escolas, além de movimentar a economia dos municípios goianos. Para isso, Caiado assegura que o programa é uma política social instituída em prol das famílias goianas. Acreditem: esse programa não é transitório. Enquanto o filho de vocês não alcançar seis anos, ou os outros que vierem, ele receberá todo mês R$ 250 para alimentação”, destaca o governador.

O período de permanência do programa é de 12 meses, prorrogável até 36 meses, desde que cumpridos os compromissos assumidos no ato de adesão. Dessa forma, as mães devem atualizas as informações do CadÚnico e manter a carteira de vacinação dos filhos em dia, atendendo aos critérios do Ministério da Saúde.

Em caso de gestantes, é preciso que todo acompanhamento médico relativo ao pré-natal e aos primeiros seis meses de vida da criança sejam realizados. “Este cartão representa a tranquilidade para as mães goianas. É um recurso que ajuda a colocar comida na mesa e possibilita um recomeço diante deste momento desafiador que estamos vivendo”, avalia o titular da Seds, secretário Wellington Matos.

Veja Também