Vítima de cárcere privado por 17 anos é resgata com os filhos

‘‘Ele batia, xingava e deixava a gente sem comer'', relatou a mulher em depoimento à polícia

Postado em: 02-08-2022 às 10h48
Por: Mariana Fernandes
O agressor, foi preso em flagrante e passou por uma audiência de custódia| Foto: Reprodução

A mulher que foi vítima de cárcere privado por 17 anos com os filhos, foi resgatada após uma denúncia anônima. Depois de serem resgatados pela polícia, mãe e filhos foram levados para o Hospital Rocha Faria com sinais de desnutrição. 

O agressor, Luiz Antônio Santos Silva, de 49 anos, foi preso em flagrante e passou por uma audiência de custódia onde a Justiça decretou prisão preventiva , respondendo por cárcere privado, maus tratos e tortura. 

‘‘Ele batia, xingava, deixava a gente sem comer, sem água…Graças a Deus eu consegui pedir ajuda para uma vizinha minha, passei o contato da minha irmã, aí fizeram uma denúncia anônima. Os policiais prenderam ele e me levaram para o hospital. Fui muito bem tratada pelos enfermeiros. Eu e meus filhos’’, descreveu a vítima que hoje vive temporariamente com a irmã. 

Continua após a publicidade

A vítima gravou um vídeo breve falando sobre o acolhimento recebido de parentes e amigos, depois do pedido de socorro. 

A mulher que por 17 anos foi vítima de cárcere privado ao lado dos filhos gravou um vídeo falando brevemente sobre o acolhimento que tem recebido de parentes e amigos, após  pedido de socorro que fez para a vizinha. 

‘’Hoje meus filhos estão dormindo na cama, que eles não tinham. Estão conseguindo dormir. Está tudo bem. Graças a Deus. Eles ainda estão um pouco agitados porque para eles é tudo novo, mas se Deus quiser vai dar tudo certo e vai melhorar ‘’, compartilhou em vídeo.  

Leia também: Ministro da Saúde anuncia antiviral para tratar varíola dos macacos

Em depoimento à polícia, a mãe dos jovens (uma moça de 22 anos e um rapaz de 19) contou que tentou separar do marido, por ‘‘diversas vezes’’, mas foi ameaçada. Durante o relacionamento que durou 23 anos, ele relatou que era agredida ”fisicamente e psicologicamente’’ e que o marido era extremamente agressivo e violento. “Você tem que ficar comigo até o fim. Se você for embora, só sai daqui morta”, relembrou a vítima de uma fala do marido. 

Pedido de socorro

Luiz Antônio e a mulher eram primos de primeiro grau. Por conta disso, a família era contra o relacionamento dos dois. A irmã da vítima, disse que mesmo assim, quando os sobrinhos eram pequenos, toda a família visitava as crianças. Conforme as crianças foram crescendo, Luiz passou a impedir esse contato. 

‘’Quando ele parou de deixar a gente ver as crianças, ameaçamos chamar a polícia, ele ficou apavorado e foi embora com todos eles. Nunca mais a gente viu. Não sabíamos onde eles moravam. Passaram anos e a gente até pensou que minha irmã tinha morrido’’, relata.

E continuou, ‘’Eu continuei procurando a minha irmã nas redes sociais, nas delegacias para achar ela. Um certo dia, na época do Natal, eu lembrei desse número, olhei e estava com a foto dele. Liguei de novo e dessa vez ele atendeu. Só deixou eu falar com a minha irmã por dois minutos. Depois disso, consegui contato algumas vezes. Ele sempre falava que estava tudo bem e ela também, mas devia estar sendo ameaçada’’.

A mulher também não sabe dizer como, mas afirmou que em uma dessas ligações, conseguiu anotar o número dela. Dez dias depois, uma vizinha da família entrou em contato com a vítima, e fez o pedido de socorro. 

Leia também: Preço da gasolina pode atingir mesmo valor de junho de 2021

Por serem uma família simples, a família resgatada ainda precisa de ajuda com alimentos, roupas, calçados, além de produtos de limpeza e higiene.

Os policiais da Delegacia da Mulher de Campo Grande, devem retornar a visita ainda esta semana, para efetuarem uma perícia completa.

Veja Também