Síndrome do olho seco: um dos problemas que se agravam nessa estação, ocasionada por uma combinação de fatores

Postado em: 31-03-2022 às 08h58
Por: Redação
Oftalmologista Fernando Pacheco Veríssimo alerta sobre cuidados no outono | Foto: Reprodução

Por Elysia Cardoso

Assim como a pele, os olhos também estão sujeitos aos riscos decorrentes da exposição ao sol. Durante o verão, é comum protegê-los com acessórios como óculos escuros, por exemplo. Porém, o fato de que os raios UV (ultravioleta) podem trazer efeitos nocivos à saúde, mesmo durante o outono e inverno, é desconhecido por boa parte da população.

Exposição excessiva dos olhos ao sol sem proteção adequada, isto é, óculos escuros, bonés ou chapéus podem causar o surgimento de alguns tumores oculares e aumentar sensivelmente o risco de catarata. “As consequências da falta de cuidado com os olhos incluem desde a conjuntivite e ceratite de exposição, que se manifestam com sintomas como irritação, sensação de corpo estranho ou desconforto com a luminosidade, até outros mais graves”, aponta o oftalmologista Fernando Pacheco Veríssimo, do Instituto Visy clínica especializada em oftalmologia.

Com início no último dia 20 de março, o outono é marcado por tempo seco e uma intensa variação climática que, combinados com a poluição, são um veneno para a saúde dos olhos. Os dias mais frescos, que chegam com o outono, trazem a necessidade de reforçar cuidados para manter a saúde dos olhos. A diminuição da temperatura e da umidade do ar nessa época deixa o ambiente mais seco, podendo levar ao ressecamento ocular e ao aparecimento de problemas.

“Para quem usa lente de contato, as lentes ressecam mais nesta época do ano devido à perda da proteção natural dos olhos, que são as lágrimas. O efeito é o aumento de casos de olhos vermelhos, irritados, lacrimejamento excessivo e até conjuntivite”, afirma o oftalmologista. Fernando explica que a saúde dos olhos é mantida por meio da lágrima e de algumas glândulas de gordura em volta dos cílios. “Se o ar está mais seco, há uma tendência a alterações na qualidade ou quantidade de lágrimas, causando ressecamento, que pode levar ao aparecimento de doenças”, explica.

Um dos problemas que se agravam nessa estação é a síndrome do olho seco, ocasionada por uma combinação de fatores. Quem já é propenso a alergias (rinites, sinusites e dermatites de contato, por exemplo) deve ficar atento. Sintomas como ardência, coceira e visão borrada que melhora ao piscar podem indicar essa condição, além de desconfortos após assistir à televisão, ler ou usar o computador. “O poder de lubrificação do olho diminui no outono. Por isso, aparece um número maior de pacientes com olho seco nessa época”, ressalta o oftalmologista.

Para reforçar os cuidados com os olhos no outono o médico sugere fazer uso de colírio lubrificante (a base de ácido hialurônico), com indicação médica, para ajudar a limpar a superfície do olho; adotar medidas ‘antialergia’ em casa, como arejar bem os ambientes, abrindo janelas; manter o ar úmido com umidificadores ou vasilhas de água; beba bastante água para manter a hidratação do corpo; evitar coçar a região. “Claro que qualquer alteração na saúde dos olhos deve contar com o acompanhamento de um oftalmologista de confiança”, pontua.

Compartilhe: