Artete Turismo cria plataforma cultural sustentável em Pirenópolis

Iniciativas vão desde a simples exposição fotográfica hand-on até a produção de documentários educativos

Postado em: 21-07-2022 às 08h43
Por: Elysia Cardoso Ferreira
Iniciativas vão desde a simples exposição fotográfica hand-on até a produção de documentários educativos | Foto: Divulgação

O projeto de extensão INSPIRI sobre Territórios e Expressões Culturais no Cerrado, em parceria com o  TECCER-UEG, o FIC UFG e do Museu do Cerrado UnB está coletando e ressignificando o anedotário histórico urbano de Pirenópolis com um conjunto de ações de curto, médio e longo prazo. Todos os desdobramentos artísticos do INSPIRI podem ser compartilhados gratuitamente na plataforma virtual 2.0 de divulgação turística e cultural: (www.inspirenopolis.weebly.com). 

O objetivo é posicionar Pirenópolis como Capital da cultura no Centro-Oeste e do turismo cultural sustentável no Brasil. E uma dessas ações é o movimento ARTetetura e HUMANismo que surgiu a partir do uso de estratégias educomunicativas e socioculturais para minorar o processo de estigmatização de pessoas e territórios em situação de vulnerabilidade social, apontando para uma interface possível entre o ambiente construído da arquitetura e o ambiente vivido do cotidiano, mediada pela arte urbana, ecológica e/ou digital. 

Em entrevista ao Essência, o artista e pesquisador urbano Fred Le Blue reforça a importância do projeto para o turismo e a cultura do Estado de Goiás. “O ARTeteTURismo tem atuado com divulgação cultural e turística dos territórios e povos do Cerrado para dar visibilidade ao bioma do qual fazemos parte, mesmo morando nas cidades, que são uma espécie de meio ambiente urbano. Através de projetos artísticos geoafetivos sobre espacialidades turísticas, como faremos pra Cidade de Goiás, estamos fazendo para Pirenópolis e faremos para Alto Paraíso, temos tentado criar imaginários e identidades sociais sobre lugares que visam criar um mapa metafísico e poético do nosso Estado, o que contribui como um diferencial competitivo no trade de turismo regional nacional e internacional”.

Continua após a publicidade

O MOVimento ARTetetura e HUMANismo criou uma metodologia de projetos socioambientais de arte aplicada ao turismo, o ARTeteTurismo, que pretende disseminar uma tecnologia de paz em que obras de artes e interartes são utilizadas como  instrumentos científicos de divulgação cultural (turística), de educação patrimonial, planejamento urbano (regional), de city-matketing e de políticas públicas.

As iniciativas do projeto vão, desde a simples exposição fotográfica hand-on de fotos analógicas e digitais sobre o Centro Histórico, até a produção de documentários educativos sobre a cultura popular sagrada e profana de Pirenópolis, passando pela composição de músicas originais inspiradas em lendas urbanas, como a do fantasma do Comendador, e em belezas naturais, como o Caminho de Cora.

O ARTeteTURismo tem atuado com divulgação cultural e turística dos territórios e povos do Cerrado para dar visibilidade ao bioma do qual fazemos parte, mesmo morando nas cidades, que são uma espécie de meio ambiente urbano. Através de projetos artísticos geoafetivos sobre espacialidades turísticas, como faremos pra Cidade de Goiás, estamos fazendo para Pirenópolis e faremos para Alto Paraíso, temos tentado criar imaginários e identidades sociais sobre lugares que visam criar um mapa metafísico e poético do nosso Estado, o que contribui como um diferencial competitivo no trade de turismo regional nacional e internacional.

Tour 306º

Esse city-tour 360 graus pelos inúmeras ‘pontes-de-vista’, por onde passam o rio do imaginário social urbano e rural, divino e profano de Pirenópolis vai se beneficiar da cultura popular e pós-moderna, autoral e colaborativo, permitindo também a criação de novos acervos geoafetivos ou ecopoéticos textuais, sonoros e visuais sobre a cidade. Uma ação sociocultural arte-educativa de empoderamento narrativo e pertencimento local com crianças da rede pública de educação está prevista como contrapartida social. 

Visando consolidar uma cena e uma agenda cultural para e sobre a cidade, mas também convidar os visitantes e moradores para um turismo alocêntrico de experiência e imersão, de baixo impacto socioambiental, INSPIRI é, assim, um sopro de conhecimento e poesia sobre uma outra Pirenópolis, a ‘insPirenópolis’.

Veja Também