Octo Marques recebe exposição de Rondinelli Linhares

Obras da mostra ‘Faço longas cartas para ninguém’ estão expostas até o dia 16 de setembro na galeria Sebastião Reis

Postado em: 08-08-2022 às 08h52
Por: Redação
A exposição também aborda um aspecto político com foco nas comunidades marginalizadas | Foto: Divulgação

O Centro Cultural Octo Marques, unidade da Secretaria de Estado da Cultura (Secult Goiás), inaugurou a exposição ‘Faço longas cartas para ninguém’, individual do artista Rondinelli Linhares. Utilizando diversas linguagens como pintura, desenho, colagem e assemblagem, Linhares apresenta seu trabalho que tem como assunto principal as lutas, as angústias e as paixões humanas. A mostra fica aberta até o dia 16 de setembro na galeria Sebastião Reis.

A exposição também aborda um aspecto político com foco nas comunidades historicamente marginalizadas. Com o uso de metáforas, o artista denuncia assuntos individuais e coletivos da sociedade e tem o intuito de transformar nossa percepção do mundo.  

Linhares já teve obras expostas no Octo Marques em exposições coletivas e agora retorna com uma individual. “Todo o processo longo e complexo de produção desta mostra, que contou com a consultoria curatorial de Divino Sobral e texto crítico de Paulo Duarte-Feitoza, me tirou da zona de conforto por ter de revisitar minha extensa produção, estabelecer um conceito, amalgamar algumas séries de modo a formar um corpo conciso e não muito enxuto de trabalhos”, ressaltou.

Continua após a publicidade

O nome da mostra foi tomado de empréstimo poético da música ‘Inverno’ de Adriana Calcanhotto e Antônio Cícero. “É uma oportunidade de voltar à cena com trabalhos já vistos e inéditos. Uma tentativa de levar o fruidor a sentir, pensar e em algum nível ser modificado pela experiência lírica de lidar com tanta simbologia humana”, disse. “Esta é uma exposição para falar das afetividades, desafios, lutas e sentimentos, do coração pulsante, da vida e da morte, do efêmero e do eterno, da resistência”, ressalta Paulo Duarte-Feitoza que escreveu o texto crítico sobre a exposição.

Nascido em Anápolis, Rondinelli Linhares é artista visual, escritor e arte-educador. Graduado em Letras pela Universidade Estadual de Goiás, pós-graduado em Gestão Educacional pela Faculdade Apogeu e formado em curso técnico de artes pela Escola de Artes Oswaldo Verano atua como arte educador pela Secretaria Municipal de Integração Social e Esporte e Cultura de Anápolis.

O artista é também escritor vinculado à União Literária de Anápolis. Autor dos livros ‘A Casa Amarela e outras histórias’ (2012), ‘Geometria do caos e outros contos’ (2013), ‘Móbile equívoco & outras histórias’ (2014), ‘November Rain & outros contos’ (2016), ‘Metamorfoses’ (2018) e ‘Unimultiplicidade à deriva’ (2020).

Veja Também