Homem perde parte do órgão genital após ser picado por cobra escondida no vaso sanitário; confira

Turista Holandês estava a passeio na África do Sul quando teve as suas férias frustradas de uma das piores maneiras possíveis

Postado em: 01-12-2021 às 12h19
Por: Alexandre Paes
Turista Holandês estava a passeio na África do Sul quando teve as suas férias frustradas de uma das piores maneiras possíveis | Foto: Reprodução

Na África do Sul, um turista holandês, de 47 anos, teve as suas férias frustradas de uma das piores maneiras possíveis. Enquanto usava o banheiro, o homem foi mordido por uma cobra, mais precisamente por uma Naja annulifera, na região do escroto e no pênis. Por falta de assistência médica adequada, a região necrosou, e parte do tecido “morreu”.

O relato de caso do holandês que, posteriormente, reconstruiu a parte genital necrosada com enxertos foi publicado na revista científica Urology Case Reports. Segundo os médicos holandeses do Hospital Rijnstate, este foi o primeiro caso de envenenamento dos órgãos genitais por essa espécie de cobra já descrito na literatura médica.

Como ocorreu a necrose escrotal pós-mordida de cobra

Continua após a publicidade

Quando foi se sentar no vaso sanitário, a naja já estava lá e mordeu os genitais do turista. Inclusive, os autores holandeses do relato reforçam a importância de verificar se há algo dentro do vaso, especialmente em locais onde a incidência de cobras pode ser alta.

Como a reserva era bastante longe de qualquer hospital, o homem precisou aguardar por algumas horas até receber algum tratamento. “Ele esperou 3 horas pelo transporte de helicóptero até o centro de traumas mais próximo (350 km)”, contam os médicos do Hospital Rijnstate.

Nesse meio-tempo, foi possível identificar a espécie exata da naja. O paciente também relatava dores desde a virilha até a parte superior do tórax, além de uma sensação de queimação nos próprios órgãos genitais e febre.

Quando chegou ao atendimento, “pênis e escroto estavam inchados, de cor roxa escura e doloridos”. Além disso, a “necrose escrotal foi diagnosticada e ele recebeu múltiplas doses de um antídoto inespecífico de veneno de cobra e antibióticos de amplo espectro”, relataram.

O paciente precisou ser transferido para Unidade de Terapia Intensiva (UTI). “Embora nenhuma sequela neurológica tenha se desenvolvido, ele precisou de hemodiálise devido a uma lesão renal aguda”, detalham. No hospital local, foi possível estabilizar a necrose dos órgãos genitais. “Depois de se estabilizar, ele foi repatriado para a Holanda para tratamento adicional e desde então se recuperou totalmente”, apontam os médicos.

A junta médica conseguiu remover mais do tecido morto e realizou um enxerto no pênis e escroto do paciente, substituindo o tecido morto por um tecido retirado de sua virilha. “No acompanhamento de 1 ano, as feridas haviam cicatrizado bem e a função e a sensação peniana estavam totalmente recuperadas”, concluem os médicos.

Veja Também