Tumor de quase 50 quilos é removido do abdômen de mulher na Índia

A mulher de 56 anos está bem após o procedimento cirúrgico. Ela carregava o peso do tumor, que era apenas 2 kg a menos de peso atual, que é 49 kg

Postado em: 18-02-2022 às 13h23
Por: Alexandre Paes
A mulher de 56 anos está bem após o procedimento cirúrgico. Ela carregava o peso do tumor, que era apenas 2 kg a menos de peso atual, que é 49 kg | Foto: Reprodução/Internet

Uma mulher de 56 anos lutava contra um enorme tumor de 47 kg na cidade de Ahemadabd, na Índia. Felizmente uma equipe médica de oito profissionais removeu com segurança a massa tumoral que estava presente em seu abdômen. No total, foram removidos mais de 54 kg de peso de seu corpo, incluindo tecidos da parede abdominal e excesso de pele.

De acordo com o Times Of India, a mulher carregava o peso do tumor, que era apenas 2 kg a menos de peso atual, que é 49 kg. Ela começou a ganhar peso inexplicavelmente na região abdominal há 18 anos atrás. Após ultrassonografia, foi então revelado um tumor benigno. Durante a cirurgia na época, os médicos descobriram que o tumor estava ligado a um órgão interno, o que resultou na interrupção da cirurgia.

Com a inviabilidade de remoção do tumor na época, a massa acabou crescendo, e nos últimos dois anos, quase dobrou, afetando a qualidade de vida da paciente. O gastroenterologista e chefe da cirurgia, Dr. Chirag Desai, que liderou a equipe de cirurgiões, disse que não conseguiu pesar a mulher adequadamente, pois ela não conseguia ficar de pé devido ao enorme tumor.

Continua após a publicidade

“A remoção, incluindo o tumor (em linguagem técnica um leiomioma retroperitoneal), pesava mais do que seu peso real. Isso acontece raramente”, afirmou o médico. Ele acrescentou que todos os órgãos internos da mulher foram deslocados e que o coração, pulmões, rins e útero foram empurrados para o lado pelo tumor aumentado na parede do estômago.

Depois do grande procedimento cirúrgico, a mulher ficou no hospital ao cuidados pós-operatórios por quinze dias, e recebeu alta na última segunda-feira (14/2).

Veja Também