Presidente da Ucrânia pede que EUA inclua Rússia em lista de países terroristas

Para Zelensky, Kremlin quer pôr pressão na sociedade usando “terror”.

Postado em: 18-07-2022 às 12h18
Por: Luan Monteiro
Para Zelensky, Kremlin quer pôr pressão na sociedade usando “terror”. | Foto: Reprodução

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, pediu, em sua live da última sexta-feira (15/7), que os Estados Unidos (EUA) incluam a Rússia na lista de países considerados terroristas.

Zelensky afirmou, na live, que o propósito da Rússia é pressionar a sociedade ucraniana. “Os invasores entendem que estamos ficando cada vez mais fortes. O propósito do terror deles é muito simples – pressionar-nos, pressionar a nossa sociedade, intimidar as pessoas, causar danos máximos às cidades ucranianas”, disse.

Após os ataques com mísseis russos nas cidades de Poltava e Vinnytsia, onde dezenas de civis foram mortos, os pedidos para listar oficialmente a Rússia entre os países que patrocinam o terrorismo aumentaram tanto em Kiev quanto em Washington.

Continua após a publicidade

Em maio, a Lituânia se tornou o primeiro país europeu a designar a Rússia como um estado patrocinador do terrorismo, enquanto uma resolução bipartidária foi introduzida na Câmara dos Deputados dos EUA para colocar a Rússia na mesma lista.

Segundo o Departamento de Estado dos EUA, existem quatro tipos de sanções que acompanham a designação de um governo que está patrocinando o terrorismo. As sanções incluem “restrições à assistência externa dos EUA; proibição de exportações e vendas de defesa; certos controles sobre as exportações de itens de dupla utilização; e diversas restrições financeiras e outras”.

As sanções dos EUA contra a Rússia já excedem a natureza e a quantidade de sanções impostas contra qualquer outro país na história americana. Além dos argumentos, principalmente de setores europeus, de que isso remove um “fora da rampa” para Putin, alguns expressaram preocupação de que futuras negociações de paz com a Rússia sejam abaladas pelo reconhecimento oficial do país como patrocinadora do terrorismo, uma designação que foi usada poucas vezes na história.

A lista de estados patrocinadores do terrorismo atualmente consiste em Coréia do Norte, Irã, Síria e Cuba. Cuba, que foi retirada da lista por Barack Obama durante uma rara melhora das relações bilaterais, foi colocado de volta na lista por Trump.

Os senadores Richard Blumenthal (Democrata) e Lindsey Graham (Republicano), ecoaram a visão de que as ações da Rússia na Ucrânia se encaixam na definição de terrorismo e que o maior país do mundo deve em breve deve entrar na lista.

Em maio, os dois senadores apresentaram, ao Senado, uma legislação para que a designação fosse aplicada à Rússia. Graham, um crítico de longa data do regime de Putin, afirmou que “Putin é um terrorista, e uma das forças mais perturbadoras do planeta é a Rússia de Putin”. Antes de continuar que “a Rússia de Putin merece essa designação. Devemos estar empenhados em garantir que a Rússia de Putin seja marginalizada enquanto eles se envolverem nesse comportamento. Esta resolução envia uma forte mensagem à Ucrânia de que estamos ouvindo e concordamos que Putin dirige uma nação que é um estado patrocinador do terrorismo”, disse.

Veja Também