19 de setembro de 2018 - quarta-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cultura
Instrumental
28/06/2018 | 06h00
Festival ‘Música na Serra Dourada’ é lançado, nesta quinta
Evento de música instrumental será realizado, no próximo mês de agosto, na Cidade de Goiás

SABRINA MOURA*


O Festival Música na Serra Dourada será entre os dias 8 e 12 de agosto, mas os amantes da música erudita podem conferir, nesta quinta-feira (28), o lançamento do festival, que tem como tema da sua primeira edição a música instrumental. O coquetel, que será realizado pela Elysium Sociedade Cultural e o Instituto Rizzo, conta com a presença do presidente do Instituto, Leonardo Rizzo, da presidente da Elysium Sociedade Cultural, Luciana Franco, e do diretor artístico do festival, maestro e violinista Alessandro Borgomanero.

Segundo o diretor artístico, a ideia é promover a música erudita na Cidade de Goiás. “Serão realizados concertos e também aulas para alunos selecionados de todo o Brasil. Vamos divulgar a música de concerto com a presença de grandes professores e concertistas”.

Leonardo Rizzo afirma que esta é a primeira edição de um sonho que levanta a bandeira da música em Goiás. “Este festival tem como objetivo deixar acesa a chama da música em uma cidade que é Patrimônio Histórico da Humanidade. Nosso desejo é possibilitar, cada vez mais, que os jovens tenham a música como profissão, como trabalho. Também queremos envolver a cidade, garantir turismo e compartilhar história”, comenta ele.

O festival envolve, nesta edição, instrumentistas de cordas – violino, viola e violoncelo – e disponibiliza cursos com grandes músicos brasileiros sendo eles: Daniel Guedes, violino (UFRJ), Luciano Pontes, viola (UFG), Emerson de Biaggi, viola (Unicamp),David Gardner, violoncelo (UFG) e Fabio Presgrave, violoncelo (UFRN). “Cada professor vai ministrar duas aulas, dando a oportunidade de os alunos selecionados amadurecer os seus conhecimentos”, comenta Borgomanero.

Durante o festival, três apresentações principais serão realizadas, no Cine Teatro São Joaquim, na Cidade de Goiás. No dia da abertura, o concerto será com a Orquestra Camerata Filarmônica de Goiás juntamente com os professores convidados, que serão solistas em um programa que abrange 200 anos de música, incluindo obras de vários compositores brasileiros como Villa Lobos.

A Camerata Filarmônica de Goiás é uma orquestra de câmera formada por alguns dos mais importantes músicos de cordas do País. Sua estreia foi, no ano de 2010, para gravação e turnê de seu primeiro programa, música para cordas brasileira do século 21. De lá para cá, a orquestra já gravou dois CDs e participou de várias turnês e apresentações pelo Centro-Sul do País.

Borgomanero comenta a importância do festival para aqueles que vão comparecer em agosto: “Para a comunidade é uma oportunidade de ver grandes concertos. Para a comunidade acadêmica, a chance de receber os concertos didáticos a fim de conhecer mais sobre esse tipo de músicas. Para os músicos do Brasil é importante por ter o contato com os professores de alta qualidade”. Segundo ele, Goiás tem se transformado em “um Estado com muita música eurita, e, nos últimos anos, tem se desenvolvido no meio”.


Músicos clássicos

Luciano Pontes iniciou seus estudos ao violino com Alex Nascimento e Salmo Lopes. Diplomou-se com os títulos de bacharel em Música – habilitação em Violino, na classe do prof. Alessandro Borgomanero,  e mestre em Música pela Emac-UFG sob orientação da professora Glacy Antunes. Atualmente, cursa o doutorado em Performances Culturais pela UFG, é professor de viola, música de câmara e Prática de Orquestra na Escola de Música da UFG e diretor artístico fundador da Camerata de cordas Jean Douliez da Emac-UFG.

Emerson De Biaggi cursou o bacharelado em Música no Departamento de Música da ECA-USP. Integrou a Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal de São Paulo entre 1988 e 1990. Realizou o curso de mestrado na Boston University (1992) sob orientação de Raphael Hillyer e Steven Ansell. Em seguida, cursou doutorado na Universidade da California, tendo como professores Heiichiro Ohyama, Donald McInnes e Ronald Copes. Durante este curso, foi integrante do quarteto de cordas em residência no Departamento de Música da UCSB, com apresentações em várias cidades dos Estados Unidos, da Inglaterra e do Brasil. Participou de festivais de música no Conservatório de Moscou (Rússia), dos festivais de Round Top (Texas) e do programa de Quartetos de cordas do festival Bravo! Colorado, nos EUA – além do curso para quarteto de cordas com o quarteto Alban Berg, na Britten-Pears School, na Inglaterra. Atualmente, ele é chefe do naipe de violas da Orquestra Municipal de Jundiai, integra o quarteto Polytheama e o quinteto de cordas Quintal Brasileiro.

Daniel Guedes iniciou seus estudos de violino aos 7 anos, estudando no Conservatório Brasileiro de Música com Paulo Bosísio. Aos 13 anos, venceu o IX Concurso Jovens Concertistas Brasileiros e ganhou bolsa de estudos da Capes para estudar em Londres, na Guildhall School of Music, com Detlef Hahn. Em 1998, ele foi aluno de Pinchas Zukerman e Patinka Kopec no prestigiado Pinchas Zukerman Performance Program, na Manhattan School of Music, onde completou o bacharelado – graduando-se como outstanding student; recentemente, concluiu o mestrado em Música. Além das atividades como solista e camerista, Daniel foi assistente de Patinka Kopec, na Manhattan School of Music, e vem lecionando em importantes festivais de música no País; recentemente, foi convidado para lecionar no Conservatório Brasileiro de Música.

O violoncelista inglês David Gardner teve como principais professores de violoncelo Maude Tortelier, Richard Markson, Lowri Blake e David Fletcher. Graduou-se na Trinity College of Music, em Londres, com honras de ‘primeira classe’, onde lhe foi concedido a medalha de ouro. Apresentou-se  com diversas orquestras, dentre elas, Royal Phiharmonic Orchestra em Londres; Hallé Orquestra Manchester; Welsh National Opera; BBC Philharmonic; Orquestra do Teatro Nacional e a Orquestra Filarmonica de Goiás.

Fabio Presgrave, carioca, é violoncelista. Recebeu seus títulos de bacharel e mestre em Performance pela renomada Juilliard School of Music, em Nova Iorque, onde estudou com Harvey Shapiro e Joel Krosnick. Fabio é doutor pela Unicamp e, recentemente, com bolsa da Capes, realizou em colaboração com o prof. Matias de Oliveira Pinto sua pesquisa pós-doutoral na Westfaelisch Wilhems-Univesitaet, onde atuou como professor convidado em 2018.

*Integrante do programa de estágio do jornal O HOJE sob orientação da editora Flávia Popov


SERVIÇO

Coquetel de lançamento do Festival Música na Serra Dourada 

Quando: quinta-feira (28) às 19h30

Onde: Instituto Rizzo (Av. Cora Coralina, 242, St. Sul – Goiânia)

Lançamento para convidados

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)