Sábado, 20 de julho de 2019
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Cultura

Artista visual abre nesta terça-feira a exposição Demarcações, em Goiânia

Postado em: 22-01-2019 as 06h00
Mostra ‘Demarcações’, de Gabriela Noujaim, é aberta nesta terça-feira no Centro Cultural Cora Coralina

SABRINA MOURA*

Partindo da ideia de fixar imagens no tempo explorando os limites e possibilidades da gravura, a artista visual Gabriela Noujaim abre nesta terça-feira (22), às 20h, no Centro Cultural Cora Coralina, a exposição Demarcações. A exposição individual de Noujaim, Demarcações, vem com o intuito de defender e mostrar a posição da artista em defesa da causa indígena, atualmente ameaçada.

Gabriela relembra que, nos anos de 2017 e 2018, durante uma vez na semana, se encontrava com mulheres da etnia Guajajara em uma aldeia indígena urbana chamada Aldeia Maracanã – ao lado do famoso estádio de futebol do Rio de Janeiro. “Foi durante este convívio que aprendi sobre pintura corporal e seu grafismo geométrico, servindo de inspiração para exposição”, conta ela.

Por meio da arte contemporânea e suas capilaridades, explorando os limites da serigrafia como técnica, a exposição adverte sobre a violência contra o corpo feminino e a tentativa de um apagamento histórico da cultura indígena. “Atualmente, as aldeias enfrentam mais uma ameaça: a revisão da demarcação dos territórios indígenas já concedidos. Tendo em vista o papel ancestral das nações indígenas na formação do Brasil, é importante debater sua importância e preservação”, afirma Gabriela.

A artista explica que o território para o povo indígena significa a preservação cultural das aldeias existentes, e que, no Brasil, são mais de 200 línguas indígenas registradas, das quais 180 são faladas até hoje. “As línguas indígenas têm importantes contribuições e influências que ainda fazem modificações na nossa forma de falar o português até o hoje”, relata Gabriela.

A importância do povo indíge,na atualidade, para auxiliar na prevenção ambiental, segundo Noujaim, pode ser vista por meio de fotos aéreas tiradas das reservas indígenas. “É possível visualizar uma grande área verde, que cobre todo o território demarcado, promovendo um equilíbrio ao meio ambiente da exploração madeireira”, indica a artista.

Bate-papo

Antes de dar início ao vernissage, ocorrerá, às 19h, um bate-papo da artista e mais dois convidados, Bianca Tinoco e Samuel de Jesus. Para Gabriela Noujaim, é preciso discutir e levantar questões que envolvem a arte contemporânea e os movimentos de retrocesso social em que vivemos. “Convidei esses renomados professores para discutirmos e debatermos tais assuntos”, finaliza ela.

Bianca Tinoco

Bianca é doutoranda em Teoria e História da Arte na Pós-Graduação em Artes Visuais da Universidade de Brasília (DF). É pesquisadora de artes visuais com foco em performance; jornalista de formação, com passagens pelos cadernos de cultura do Jornal do Commercio e do Jornal do Brasil.

Samuel de Jesus

Possui graduação em Artes Plásticas na École Supérieure dês Beaux–Arts de Tours (França); Teoria das Artes pela Universidade de Paris I, Panthéon-Sorbonne; graduação e mestrado em História das Artes na Université Francois Rabelais (Tours); mestrado em Artes Plásticas / Teoria das Artes pela Université de Paris I; Panthéon-Sorbonne; e doutorado em Cotutela em Études Cinématografiques et Audiovisuelles–Université de Paris III / Sorbonne-Nouvelle; e Universidade Federal do Rio de Janeiro, sob a direção de Philippe Dubois e de Consuelo Lins. 

Ele desenvolveu seu pós-doutorado em Artes Plásticas, em torno da questão das práticas extremas do corpo nas artes contemporâneas, sob a direção de Sônia Salzstein Goldberg, na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Samuel de Jesus é, atualmente, professor doutor em História da Arte Contemporânea, na Faculdade de Artes Visuais da Universidade Federal de Goiás (UFG) e coordenador da programação das Artes Visuais do Centro Cultural UFG. 

*Integrante do programa de estágio do jornal O HOJE sob orientação da editora Flávia Popov

SERVIÇO

Exposição ‘Demarcações’

Abertura: terça-feira (22) às 20h

Visitação: de terça-feira a domingo das 9h às 17h

Onde: Centro Cultural Cora Coralina (Rua 3, s/nº, Setor Central – Goiânia)

Entrada gratuita

Bate-papo com Bianca Tinoco, Samuel de Jesus e Gabriela Noujaim

Quando: terça-feira (22) às 19h

Entrada gratuita

 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja buscar