22 de novembro de 2017 - quarta-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Esporte
Nota Oficial
13/11/2017 | 16h30
Palmeiras repudia violência
Sociedade Esportiva Palmeiras emite nota oficial após manifestos de torcidas organizadas

Aline Carlêto *


Na tarde deste domingo (12), o Palmeiras venceu o Flamengo por 2 a 0, na Arena Palmeiras, em partida válida pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A. A equipe palestrina foi superior durante todo o tempo e quase não deu chances para o adversário. A vitória acalmou os ânimos dos torcedores palmeirenses, mas não apagou o que aconteceu momentos antes da partida.

Quando os jogadores se encaminhavam para o estádio, por volta das 15h, membros da organizada fizeram manifesto em frente à Academia de Futebol do clube. Os torcedores pediam a demissão de jogadores. Na saída dos atletas para o estádio, foram atiradas pamonhas, bananas e pipocas no ônibus do time. Segundo a diretoria da equipe, os objetos atirados atingiram duas pessoas.

Em nota oficial emitida nesta segunda-feira (13), o presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte, afirmou que não vai haver qualquer diálogo autorizado entre jogadores do clube e integrantes de torcidas organizadas.

A Sociedade Esportiva Palmeiras registrou boletim de ocorrência e irá requerer abertura de inquérito policial. Além disso, afirmou que irá colaborar com as autoridades fornecendo provas, imagens e testemunhos.


Confira na íntegra a nota oficial:

"A Sociedade Esportiva Palmeiras lavrou Boletim de Ocorrência e irá solicitar a abertura de inquérito policial para que se apure o lamentável episódio deste domingo (12) envolvendo o ataque aos veículos que transportavam a delegação para a partida contra o Flamengo.

Dois integrantes do Departamento de Futebol do Palmeiras foram atingidos por estilhaços dos vidros que foram quebrados por manifestantes que acompanharam a saída do ônibus da Academia de Futebol.

Muito mais do que danificar um patrimônio do Palmeiras, colocar em risco a integridade física de seres humanos, profissionais que estavam no exercício de suas atividades, é inadmissível e injustificável. Por isso não vamos tolerar tais condutas.

Como Presidente do Palmeiras reforço que, enquanto eu ocupar este cargo, não haverá qualquer tipo de diálogo autorizado pela Diretoria entre integrantes de torcidas organizadas e jogadores do clube.

Reitero que seguirei mantendo a política de não conceder qualquer privilégio às torcidas organizadas. O clube valoriza muito seu torcedor e respeita todos os protestos, desde que sejam feitos em local e maneira adequados. Atos de violência são inaceitáveis e por isso serão reprimidos.

O Palmeiras irá fornecer todas as provas, imagens e testemunhos de quem acompanhou o episódio para auxiliar as autoridades.

Maurício Galiotte

Presidente da Sociedade Esportiva Palmeiras"


(Foto: Jales Valquer/FotoArena/Estadão Conteúdo) 

*(Aline Carlêto é integrante do programa de estágio do jornal O Hoje)

Tópicos:  Torcida,   Diretoria,   Protestos

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)