Veja como funciona o programa de acolhimento às mulheres vítimas de violência em Goiás

Centro de Referência Estadual de Igualdade (CREI) disponibiliza atendimento psicológico, jurídico e encaminhamento para capacitação profissional

Postado em: 19-07-2022 às 08h17
Por: Rodrigo Melo
Centro de Referência Estadual de Igualdade (CREI) disponibiliza atendimento psicológico, jurídico e encaminhamento para capacitação profissional | Foto: Governo de Goiás

Em Goiás há um serviço de acolhimento às mulheres vítimas de violência por meio do Centro de Referência Estadual de Igualdade (CREI). No local, que fica na Praça Cívica, no Centro de Goiânia, é disponibilizado atendimento psicológico, jurídico e até mesmo encaminhamento para cursos de capacitação profissional.

O atendimento presencial é feito de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h. As interessadas também podem entrar em contato com o CREI pelos números 3201-7489 ou 98306-0191 e pelo email [email protected] O primeiro passo no acolhimento é feito por meio de acompanhamento psicológico e de assistência social.

A vítima de violência tem a opção de realizar o boletim de ocorrência acompanhada por um profissional capacitado. Para garantir sua segurança, a Seds oferece estadia em hotéis conveniados até que a vítima encontre um ambiente seguro.

Continua após a publicidade

Cursos profissionalizantes e crédito

As mulheres atendidas pelo CREI também podem se inscrever em cursos de capacitação profissional, e ter acesso ao programa Crédito Social que oferece até R$ 5 mil para pessoas em situação de vulnerabilidade que foram capacitadas. Este recurso é feito por transferência direta, não se trata de empréstimo, o valor é destinado à estruturação do próprio negócio.

Somente no CREI, são realizados cerca de 80 atendimentos por mês, a maioria na modalidade presencial. O encaminhamento é personalizado, e obedece às necessidades de cada pessoa. Mulheres vítimas de crimes sexuais têm acompanhamento para realização dos exames, da ocorrência e assessoramento jurídico gratuito.

Leia também: Legislação sobre violência contra mulheres precisa de melhorias

Rede de Proteção

O Pacto Goiano de Combate à Violência Contra a Mulher reúne ações aprimoradas e protegidas pela Rede de Proteção que conta com apoio do Ministério Público, Defensoria Pública, Tribunal de Justiça, Segurança Pública, OAB, Universidade Federal de Goiás, Universidade Estadual de Goiás, Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Assembleia Legislativa de Goiás, Câmara Municipal de Goiânia e outras instituições.

Investigação de casos de violência

Outro ponto de atendimento importante criado pelo Governo de Goiás é o Grupo Especializado no Atendimento às Vítimas de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (GEACRI), da Polícia Civil. Nele, profissionais da segurança, em parceria com a Rede de Proteção, são capacitados para receber as vítimas e conduzir a investigação. Além de mulheres vítimas de violência, o GEACRI, assim como o CREI, recebem vítimas de LGBTfobia, racismo, intolerância religiosa e outros.

Veja Também