Começa o Comida di Buteco

Postado em: 15-04-2016 às 06h00
Por: Sheyla Sousa
Concurso elegerá o melhor boteco de Goiânia, que entrará na disputa para ser o melhor do País

O prato chega fumegando à mesa. O purê impecável de mandioca, coroado por cebolas cozidas, se mistura ao encorpado sabor do tropeiro de feijão ver­de que o acompanha, apurado com bacon e calabresinha. Acrescentando ao prato, o destaque da composição: uma linguiça caseira, embutida com um mix de carne bovina, serenada por dois dias, processada junto a pedaços de tomate e de queijo provolone. O que poderia passar por uma jantinha diferente, se apresenta como a aposta de um dos 31 bares do Comida di Buteco 2016, concurso que começa hoje e segue até 15 de maio, na escolha pelo melhor boteco de Goiânia.

O prato descrito é o Boi na Lua, uma invenção do Recanto do Chopp, bar do Setor Campinas, que ostenta o título de campeão da última edição do concurso realizado no ano passado. Conforme explica Marcelo Abdala Damas, proprietário do boteco, a receita do ano seguinte começa a ser criada logo após a fim da edição. “Começamos a pensar em combinações e misturas que têm maiores chances de agradar os clientes, mas o desafio é grande, ainda mais por termos ven­cido em 2015. Temos que nos superar e vamos fazer isso”, avalia. 

É exatamente esse espírito que permeia os botequeiros que participam do concurso, que há nove anos é realizado na capital de Goiás. Conforme explica o gerente regional do concurso, Filipe Pereira, para o Comida di Buteco são escolhidos aqueles bares justamente com esse perfil espontâneo, em que o dono está à frente do negócio, cuidando do lugar, geralmente, junto da família. “Os bares que participam do Comida di Buteco geralmente co­me­çaram ao acaso, com uma ideia que foi crescendo. Às vezes um espetinho que era vendido e foi aglutinando mais gente ou uma receita de salgado que passou a chamar a atenção e, em torno disso, os negócios foram se desenvolvendo”, explica.

Saindo da rotina

Um dos pontos que ganha destaque no Comida di Buteco é a sua distribuição espacial pela cidade. Por serem espontâneos, a maioria dos botecos não fica localizada em polos gastronômicos ou em áreas nobres. Estão espalhados pelos quatro cantos da cidade, o que torna o concurso ainda mais democrático e serve de incremento na rotina dos bares – com um novo público que vem pelo concurso – e na descoberta do consumidor, que passa a ter uma nova opção de entretenimento, caso saia satisfeito de sua experiência. 

Segundo Danillo Ramos, que comanda junto do pai, Francisco Ramos, o Bar do Piry, no Jardim América, o público aumenta uma média de 30% na época do concurso. “Temos tanto o cliente cativo do bar que se envolve com o novo prato como o cliente do Comida di Buteco, que aproveita a oportunidade para conhecer uma casa nova. Tem muita gente que vem apenas uma vez, mas há o público que gosta do bar e se fideliza como cliente, explica. 

O bar aposta na pegada nordestina, aproveitando as raízes de seus donos, para desenvolver seu cardápio e conquistar novos e an­tigos clientes. Para o Comida di Buteco des­te ano, o Petisco Brasileiro é apresentado aos visitantes. O prato traz carne de sol refogada com manteiga do sertão, rapadura e cebola, servida com mo­lho de requeijão caipira com leite de coco e acompanhamento de mandioca chips.

Transformação de vidas

Outra questão que faz uma referência direta ao concurso é o papel que desempenha na transformação social dos bares envolvidos. Pelo for­mato, que envolve o público e ge­ra uma visitação intensa nos estabelecimentos concorrentes, o Co­mida di Buteco tem se consolidado ano a ano como uma das mais importantes plataformas de transformação social no segmento e que contribui para a manutenção desses locais num mercado tão concorrido e vulnerável. “O Comida di Bu­teco ajuda a manter esses bares. Muitos deles apostam no concurso para dar uma guinada nos negócios, aproveitando a divulgação, a capacitação de seus funcionários e o movimento gerado por meio do con­curso”, sinaliza Filipe Pereira, um dos organizadores do evento.

O próprio Del Lest Bar e Conveniência participou pela primeira vez do concurso no ano passado e se surpreendeu com o movimento gerado no bar, na época do evento. “Hou­ve dias em que a gente ficou sem o petisco para vender porque comercializamos tudo o que tínhamos preparado. Para este ano, já sabemos como funciona e que essa resposta é positiva do público. Então, estamos preparados e ansiosos para começar o concurso”, revela Marta Ferreira, que comanda o boteco junto do marido e do filho. O bar traz para esta edição o prato Escondido é Mais Gostoso – um escondidinho de carne de sol com uva Crimson, aos três queijos.  

Compartilhe: