Partiu churrasco! Descubra os segredos do prato

Existem sempre motivos para se preparar um bom churrasco, a preferência goiana. Mas qual a melhor maneira de se fazer esse prato?

Postado em: 18-09-2016 às 06h00
Por: Redação
Existem sempre motivos para se preparar um bom churrasco, a preferência goiana. Mas qual a melhor maneira de se fazer esse prato?

Fim de semana ou feriado em Goiás é sempre motivo para um churrasco em família ou com amigos. O hábito já é tradicional e conhecido até por quem não é daqui. Mesmo assim nem todo mundo sabe escolher os melhores cortes ou prepará-los. E a pergunta que fica é: quais as maneiras de se deixar o churrasco ainda mais gostoso?

De acordo com o gerente comercial de perecíveis da Rede Bretas, Deirdre Silva, há certos cuidados a serem tomados na hora de se preparar a refeição para garantir a maciez e a suculência do churrasco. “Escolha sempre a carne em estabelecimentos confiáveis, que comercializam os produtos com inspeção federal ou estadual. A qualidade da carne depende da sua procedência”, explica. 

As principais carnes para um bom churrasco são picanha, alcatra, maminha, fraldinha, contrafilé, cupim e costela. Se ficar a dúvida de quantidade, Silva explica que para adultos a dica é comprar  de 400 a 500 gramas e 300 gramas para as crianças, visto que sempre há acompanhamentos para incrementar o prato. Outra orientação é ficar atento à cor da carne, que deve ser predominantemente vermelha. “A carne embalada a vácuo apresenta uma cor mais escura pela ausência de oxigênio, porém a coloração avermelhada retorna em média de dez a 15 minutos após contato com o oxigênio”, esclarece. 

Continua após a publicidade

Na hora de fazer o churrasco, o especialista afirma que o tempero básico é o sal grosso. “Salgue apenas na hora de levar ao fogo. Também podem ser usados sal fino e temperos, como pimenta-do-reino e alecrim”, acresenta Silva. A afiação da faca precisa estar em dia. O corte da carne deve ser no sentido transversal em relação às fibras musculares. 
 

Dicas para um bom churrasco

Uma dica para perceber se a carne está no ponto é verificar se, depois que você vira pela primeira vez, ela começa a “suar” (ficar molhada do lado de cima).

• Picanha: a dica é comprar uma peça de picanha que tenha no máximo 1,1 kg para não ficar dura.

• Alcatra: o coração de alcatra, mais conhecido como miolo de alcatra, é uma opção à picanha. O diferencial é a pouca gordura.
• Fraldinha: esta carne é de corte pequeno e fibras longas. Tem pouca concentração de gordura sendo, assim, uma opção mais leve e macia. É um corte bom para as crianças.

• Maminha: uma das partes do boi com maior concentração de gordura e, por isso, bem macia. Para servir a maminha, você deve cortá-la em fatias sempre contra as fibras da carne.

• Costela: a costela deve ser assada com o osso para baixo em direção à brasa. Não se esqueça de colocar sal nos dois lados. Em média, leva umas quatro horas para ficar pronta.

• Frango: o melhor é espetar em pedaços. Deixe na parte mais alta da churrasqueira para assar, devagar, e molhe com manteiga derretida com um pincel e um pouco de alecrim. Para dourar, no fim, baixe o espeto para o meio da churrasqueira.

• Cordeiro: a peça completa pode ser assada na parte mais alta da churrasqueira. Tempere com sal e sirva o limão à parte.

• Sal: Salgue apenas na hora de levar ao fogo.

Veja Também