Ainda abalado Ronaldo Caiado retoma agenda e despachos

Filho do governador morreu no último dia 3; missa de sétimo dia aconteceu no sábado (9)

Postado em: 12-07-2022 às 08h29
Por: Redação
Filho do governador morreu no último dia 3; missa de sétimo dia aconteceu no sábado (9) | Foto: Reprodução

Francisco Costa e Wilson Silvestre

Mesmo que a tristeza não se afaste, os trabalhos continuam. O governador Ronaldo Caiado (União Brasil) retomou na segunda-feira (11) as agendas após mais de uma semana da morte Ronaldo Ramos Caiado Filho, filho do gestor e da professora Thelma Gomes – falecido no último dia 3 e que teve missa de sétimo dia no sábado (9). 

Na manhã de segunda, o governador esteve em Bonópolis para mostrar solidariedade à população após o crime que marcou a cidade: o assassinato de duas crianças irmãs de 5 e 7 anos, cujo o principal suspeito morreu em confronto com a polícia no domingo (10). À tarde, ele se reuniu com aliados, justamente, para discutir a retomada pós luto. 

Continua após a publicidade

Coordenador geral e da região Oeste, o prefeito de Iporá Naçoitan Leite (União Brasil) confirmou a informação. Ele disse que o momento é de acelerar o ritmo. “Ele ficou uma semana abatido, abalado, mas agora ira retomar. O baque foi muito grande”, lamentou o gestor do interior. Ele explica que durante a última semana o luto do governador foi respeitado.

Boa equipe

O prefeito de Jataí Humberto Machado (MDB), que já colocou o nome à disposição para coordenar a campanha do governador na região Sudoeste, afirmou que não conversou com Caiado nos últimos dias. Para ele, o momento é de dar espaço para o gestor, que deve voltar aos trabalhos quando se sentir à vontade. 

“E nesse momento, com a boa equipe que ele tem, a falta foi suprida nas principais áreas de atuação do governo, como educação, economia, saúde, segurança e mobilidade”, apontou. “É desumano cobrar uma volta rápida. Fico feliz em saber que ele começa a retomar os despachos, mas imagino que as questões de pré-campanha vão esperar.”

Para Humberto, a população entende que este não é o momento de fazer política, “como se nada tivesse ocorrido. Ainda não é hora de voltar para a polícia, mas se sentir pronto, trabalhar no governo”. Na ocasião, ele também elogiou os adversários de Caiado por se solidarizarem neste momento tão polarizado em que o País está. “Valorizando o ser humano.”

Responsabilidade

A prefeita de Porangatu Vanuza Valadares (Podemos) atua na coordenação da pré-campanha do governo na região do Vale do São Patrício. Para ela, a perda de um filho é uma dor que jamais passará. Ainda assim, a gestora destaca que Caiado tem uma responsabilidade, que é o mandato que os goianos confiaram a ele. 

“Então, é importante que retome – após o luto – as atividades para dar sequência, mesmo com muita dor”, avalia. Neste primeiro momento, ela vê um retorno somente às atividades de gestão. Questionada sobre as agendas políticas, ela imagina que o governador ainda precisa de mais um tempo. 

O crime em Bonópolis

O crime em Bonópolis que chocou a sociedade fi a morte de uma menina de 5 anos e um menino de 7 anos. A mãe só descobriu quando chegou em casa e viu o corpo do mais velho em cômodo. O cadáver de menina não estava em casa. 

Ela foi encontrada em uma região de mata, a 200 metros da casa, na saída da cidade. Os dois tiveram o pescoço cortado. A menina foi vítima de abusos, segundo a Polícia Civil. Vizinhos teriam visto o homem foi visto deixando a casa com um saco na mão na data do ocorrido. Segundo relatos, a mãe trabalhava no momento do crime.

Em nota, a polícia informou sobre o confronto com o suspeito: “A Polícia Civil de Goiás informa que Reginaldo José Barbosa, de 37 anos, suspeito de ser o responsável pela morte de duas crianças em Bonópolis e que estava foragido desde a data do crime, na última quarta-feira (6), foi encontrado na zona rural do município após esforços investigativos. Depois de confronto com a Polícia, Reginaldo veio a óbito no local. Um outro suspeito de envolvimento no crime foi preso.”

Veja Também