Sergio Moro registra candidatura e declara R$ 1,6 milhão em bens, sendo R$ 320 mil no exterior

O político também informou ter mais dois apartamentos em Curitiba, declarados em R$ 176 mil e R$ 192 mil

Postado em: 11-08-2022 às 19h09
Por: Ana Bárbara Quêtto
O político também informou ter mais dois apartamentos em Curitiba, declarados em R$ 176 mil e R$ 192 mil | Foto: Reprodução/Evaristo Sá

O ex-juiz e ex-ministro, Sergio Moro (União-PR), declarou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ter um patrimônio de quase R$ 1,6 milhão, segundo o valor detalhado no registro de sua candidatura ao Senado, para as eleições de 2022.

No documento, que foi protocolado nesta quarta-feira (10/8), consta que Moro tinha R$ 392 mil em uma conta corrente no exterior, além de R$ 490 mil em aplicações e investimentos no banco Itaú e na Caixa Econômica Federal.

O político também informou ter mais dois apartamentos em Curitiba, declarados em R$ 176 mil e R$ 192 mil. Além de um veículo de R$ 155 mil e uma sala comercial em Curitiba de R$ 45 mil.

Continua após a publicidade

Leia também: Moro supera Álvaro Dias em pesquisa para Senado no Paraná

A mulher de Sergio, Rosângela Moro, que também é candidata a deputada federal pelo União em São Paulo, declarou ter mais de R$ 1,3 milhão em bens. Somando o patrimônio do casal, o valor total é de R$ 3 milhões.

A quantia declarada pelo ex-juiz, no entanto, é menor do que os R$ 3,7 milhões que ele informou ter recebido pela consultoria à americana Alvarez & Marsal, em janeiro. Durantes os 12 meses de prestação de serviço, Moro afirmou ter recebido salários brutos de US$ 45 mil.

Em junho, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SP) recusou a troca da mudança de domicílio eleitoral de Moro do Paraná para São Paulo, quando Sergio declarou sua residência em Curitiba. O ex-ministro da Operação Lava Jato decidiu trocar sua documentação em março, mesmo período em que mudou de partido.

O ex-juiz deixou o Podemos e entrou no partido União Brasil. Por estar registrado pelo estado de São Paulo e não o do Paraná, onde concorrerá ao Senado, sua filiação chegou a ser questionada.

Leia também: Tarcísio diz que mudou domicílio de forma regular e Moro não

Veja Também