Quinta-feira, 22 de agosto de 2019
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Ser do bem

Jovem que cresceu no Brasil descobre 37 planetas e vai trabalhar na Nasa

Postado em: 09-08-2019 as 16h48
Ele desistiu do curso de medicina quando descobriu a paixão pela programação. Projetos tecnológicos o fez descobrir outros planetas fora do sistema solar

Da Redação

Briant Moreira, de apenas 23 anos, é ex-aluno do Serviço Social da Indústria (Sesi), da cidade onde morava desde os três anos de idade, no Espírito Santo. Atualmente, o estudante de engenharia de software desistiu da faculdade de medicina quando descobriu a paixão pela programação, ramo que o fez descobrir sozinho 37 planetas fora do sistema solar, chamando atenção da Nasa que o convidou para fazer parte da equipe.

O estudante conta que o período de ensino fundamental e médio foram fundamentais para seu desenvolvimento com criações. Para ele, o SESI Laranjeiras, onde estudou na infância e adolescência estimulou a criatividade para inovações, “Os meus favoritos eram o Dia de La Hispanidad, Mini ONU e um projeto que criei com um grupo de estudantes chamado Laranjas em Movimento, sobre sustentabilidade”, conta.

Apesar de ser dedicado, Briant conta que não era um menino quieto e que direto leva alguns puxões de olhera. “Os professores me ensinaram muita coisa, as correções me ensinou a lutar pelos meus sonhos”, disse. A ex-professora do 8º ano do ensino fundamental, Daniella Nascimento Lima, conta que nas aulas tinha que contê-lo, “Chamava muito a atenção dele, mas ele me ouvia. Me tinha como uma conselheira”, lembra.

Descoberta dos planetas 

O desbravador do espaço voltou para os Estados Unidos, onde nasceu, em 2012, assim que terminou o ensino médio. Se ingressou no curso de medicina, mas foi percebendo que não era exatamente o que queria, até que conversando com um amigo que é engenheiro de Software, Chris Gravieira, Briant descobriu que se interessava pêra área de programação.

Por conta própria, ele passou a pesquisar e assistir vídeo-aulas na internet, até que decidiu trancar a faculdade de medicina e já cursando engenharia de software, durante o desenvolvimento de projetos tecnológicos conseguiu ser notado pela Nasa. 

O estudante, sozinho, por meio da análise de dados públicos do telescópio Kepler, que foi lançado no espaço em 2009, para localizar planetas com características habitáveis, conseguiu localizar 37 planetas, fora do sistema solar.

Além da descoberta, Briant fez um relatório detalhado sobre sua pesquisa e como conseguiu chegar ao resultado, foi esse documento contendo ricos detalhes que chamou atenção da Agência Espacial Americana, a empresa então convidou o jovem para trabalhar na equipe de análise. “O convite foi feito através das redes sociais, após algumas entrevistas, fui chamado para trabalhar”, lembra o estudante.

Briant está no último ano da faculdade e foi transferido para a unidade de robótica da Nasa, em Los Angeles. “Meu time trabalha em vários setores. Nossa função é fazer análise de praticamente todos os dados relacionados à instituição” explica.

 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja buscar