Expansão do movimento artístico

Projeto ‘ACASAS: Territórios Compartilhados’ é realizado em Goiânia, a partir de hoje (4) e segue até o dia 14 de agosto.

Postado em: 04-08-2022 às 12h36
Por: Lanna Oliveira
Projeto ‘ACASAS: Territórios Compartilhados’ é realizado em Goiânia, a partir de hoje (4) e segue até o dia 14 de agosto. | Foto: Reprodução

Nas mais diversas manifestações artísticas encontramos infinitas possibilidades. Nela se concentra a diversidade, a liberdade e a criatividade do sentir. Ampliando este conceito de se fazer arte e como compartilha-la, o projeto ‘ACASAS: Territórios Compartilhados’ é realizado em Goiânia, a partir de hoje (4) e segue até o dia 14 de agosto. Durante este período é possível acompanhar onze artistas criando, produzindo suas obras. As duas mostras, ‘Abrecaminhos’ e ‘Saideira’, podem ser vistas por meio do Instagram @nascasas e presencialmente.

O projeto ‘ACASAS: Territórios Compartilhados’ abraça artistas de todos os cantos do Brasil, com o intuito de fortalecer essa corrente. Já são dez anos se dedicando a produção de mostras que entreguem ao público um respiro artístico, com obras e conceitos relevantes e que alavanque o saber e intelecto. Uma residência para jovens artistas, que, entre outros aspectos, repensa o lugar da produção artística na cena das artes performáticas. E nesta experiência o público é convidado a mergulhar nas produções artísticas com liberdade de uma nova perspectiva. 

Neste caso, a expansão do entendimento do que é arte já começa pelo ambiente. O evento é realizado em uma casa, não em um teatro ou galeria. A escolha de um espaço inusitado já propõe a transformação do olhar, convidando para a diversidade.  O espaço é ressignificado, apresentado como uma alternativa aos lugares formais de exposição e apresentação artística como galerias, teatros e etc. A casa é o palco, e ao mesmo tempo é a casa, um espaço íntimo, diverso, no qual o tempo e espaço fluem. 

Continua após a publicidade

Uma história que merece celebração, e para a comemoração de dez anos de existência eles retornam para a cena goiana. Além das produções artísticas, a casa também será a residência desses artistas, que turbinam suas experiências com a convivência diária. Sim! Os artistas convivem durante 10 dias na casa e criam suas artes no mesmo local. O endereço da casa será divulgado para o público dois dias antes das mostras. É certo que o público vai se deparar com novos parâmetros artísticos.

E nesse fluir, como afirma o produtor em Goiânia do ACASAS, Iago Araújo o “tempo de partilha de movimentos internos vão se transformando em arte. São acasos programados onde acontecem coisas não tão bem planejadas. Um território expandido para o experimento. Aquele tempo de um ‘acaso’. A gente nem sabe quanto dura, só se joga”, diz convidando o público para essa experiência diversa.

O evento nascido em Salvador já teve uma edição realizada em Goiânia em 2015 no formato de uma mostra. Nesta edição, o evento conta com duas mostras, sendo a primeira ‘Abrecaminhos’ na sexta-feira (5) para convidados e pessoas sorteadas no Instagram. Já a do dia 13 de agosto, a segunda, ‘Saideira’, aberta ao público. O acesso a uma diversidade de posições éticas-estéticas-políticas que provocam um estudo continuado, sobre modos de organização na arte contemporânea é uma realidade. 

São cinco artistas de Salvador e Goiânia residentes: Ana Reis (GO), Iago Araújo (GO), Maria Tuti Luisão (BA), Thulio Guzman (BA) e Gilson Plano (GO), junto a outros seis artistas selecionadas a partir de uma convocatória. Das 70 propostas recebidas de todo o Brasil foram selecionados Angel Eleonor Borges (GO), Céu Ferreira Barbosa (GO), Francisco Rio (DF), Lila Deva (BA), Karl Araujo (GO) e Venâncio Cruz (GO). Assim, a rede entre artistas de distintas linguagens, vai sendo criada.

Sobre a retomada da realização do evento e a compreensão da urgência de ações como essa nesse momento atual que vivemos o idealizador do projeto Thulio Guzman ressalta que “a retomada de ações culturais pós-pandemia em tempos nos quais os espaços físicos e simbólicos são escassos, são terreno fértil para a retomada do ACASAS, e desta vez no formato de uma residência. Mobilizando a prática artística experimental para não desistirmos, e fazer com o que se tem, para reivindicar mais”, conclui. (Especial para O Hoje)

Serviço

Residência ‘ACASAS – Territórios Compartilhados’

Quando: 5 e 14 de agosto

Onde: @nascasas e presencialmente (endereço à confirmar)

Veja Também