‘A ilha mais argentina da Bahia’

Morro de São Paulo: lugar conhecido por suas belezas naturais e cultura rica

Postado em: 30-04-2018 às 06h00
Por: Sheyla Sousa
Morro de São Paulo: lugar conhecido por suas belezas naturais e cultura rica

SABRINA MOURA*

Apesar do nome,  Morro de ‘São Paulo’ está localizado no estado da Bahia, na Ilha de Tinharé, município de Cairu. A região é conhecida como Costa do Dendê e possui suas raízes históricas no Brasil Colônia. As praias de Morro de São Paulo são visitadas por turistas de todos os cantos do mundo durante todo o ano. 

Morro de São Paulo fica a  45 minutos, de barco, da cidade de Valença, que está localizada a 120km ao sul da capital, Salvador.  Faz parte de um arquipélago de 26 ilhas, sendo apenas três delas habitadas. Suas praias paradisíacas, de águas claras e areia branca – além de coqueirais e mata atlântica – são responsáveis por compor o cenário perfeito para os visitantes desse paraíso. 

Continua após a publicidade

História

Seu descobrimento foi em 1531 pelo navegador português Martin Afonso de Souza, e teve grande influência no período colonial, sendo alvo de pirataria e contrabando de mercadorias. Foi em frente à Primeira Praia de Morro de São Paulo, durante a Segunda Guerra Mundial, que os nazistas torpedearam e naufragaram os navios Arará e Itagiba, sendo motivo para que o Brasil entrasse na Guerra. 

Antes dos portugueses chegarem, quem vivia nessas terras eram os índios Aimorés e Guerés. O povoamento chegou apenas no ano de 1534, quando o então Rei de Portugal, D. João III, dividiu o litoral baiano em três capitanias, uma delas a Capitania de Ilhéus, onde está presente o arquipélago de Tinharé, e consequentemente Morro de São Paulo.

As casas e a população foram aumentando, e, em 1746, iniciaram as obras da Fonte Grande para que a população e as tropas tivessem fornecimento de água. Antigos moradores contam que, há não tanto tempo, os moradores tomavam banhos coletivos devido à falta de água encanada. Em 1848, a construção do Farol de Morro de São Paulo foi iniciada com o objetivo de facilitar a chegada à cidade de Valença, principal acesso à Ilha de Tinharé.

Atualmente, o destino tropical é um dos mais procurados pelos turistas dos quatro cantos do mundo. Esse pedaço de paraíso encanta seus moradores e visitantes que, às vezes apaixonados pelo lugar, resolvem trocar a agitada vida na cidade pela charmosa ilha. Existem tantos estrangeiros e gente do Brasil todo, por ali, que o lugar já tem uma cultura eclética que os incorpora.

Praias

Suas praias são conhecidas por ordem numérica: Primeira Praia, Segunda Praia, Terceira Praia, Quarta Praia e Quinta Praia ou Praia do Encanto – como também é chamada. Todas têm histórias, trajetórias e características próprias que oferecem diferentes opções para os visitantes.

A Primeira Praia é ideal para a prática de alguns esportes aquáticos como mergulho com cilindro, surf, wakeboard, tiroleza e banana boat. É  situada entre a vila e a Segunda Praia. Já na Segunda Praia encontram-se agito e badalação durante o dia e à noite. A Quarta e Quinta Praia são mais isoladas, consideradas praias semidesertas e ideais para aqueles que desejam relaxar, ficar isolados e podem pagar por isso, tendo opções de pousadas, hotéis e eco resorts com toda a infraestrutura que os turistas necessitam.

Além das praias de Morro de São Paulo, na mesma ilha existem outras praias como Porto de Cima, Porto da Pedra, Gamboa do Morro, Garapuá e Pratigi. A maioria delas pode ser conhecida em caminhadas nos períodos de maré baixa. As praias de Garapuá e Pratigi são visitadas nos passeios de barco ou Toyota que são vendidos na ilha.

Em Pratigi, um cantinho isolado da Bahia, ocorre, a cada dois anos, o Festival Universo Paralello. É uma praia deserta, cercada por uma fazenda de coqueiros,  onde 2 km são reservados para a festa onde há música, eletrônica, 24 horas por dia, e uma estrutura de camping, barracas de comidas, bebidas, chuveiros e banheiros improvisados – além de apresentação de DJs e artistas nacionais e internacionais em dias de festival. 

O festival não é uma festa amplamente divulgada; seu público é feito de pessoas de todas as tribos que possuem em comum o amor à música, à arte, à natureza e à diversidade. E, lá, são encontradas pessoas com ideias de vida bem diferentes, como hippies, pessoas que moram em comunidades alternativas ou artistas que vivem da arte. Essa é uma das maiores experiências do festival: respeitar a diversidade e dançar junto a todos, no mesmo local, com a mesma música, em um lugar abençoado pela natureza. Mesmo para quem não curte música eletrônica, é possível curtir o festival, que também é dedicado à música chill out, reggae, world music – há também  apresentações  e oficinas com instrumentos étnicos.

Curiosidades

Em Morro de São Paulo, não circulam carros: isso propicia um ambiente tranquilo e relaxante, longe da correria e agitação das metrópoles.  O lugar é só ladeira; as vielas são estreitas e impedem a passagem de carro. A solução encontrada pelos locais foram os ‘táxis-carrinhos de mão’ que transportam mercadorias, bagagens e até pessoas. Na chegada ao morro, é só negociar com os ‘motoristas’ para que eles carreguem as malas até o hotel.

Um trator passa pela vila, durante todos os dias de manhã, para recolher o lixo. Existe ainda uma ambulância do posto de saúde que, em alguma eventualidade, também entra na vila. Os hotéis da Quarta e  da Quinta Praia também têm carros para facilitar o acesso à vila de seus hospedes, mas o trajeto é feito por uma rua paralela à praia, portanto o turista não os vê.

O que mais se ouve por aquelas ‘bandas’ é um português com aquele sotaque castelhano. Muitos argentinos e até espanhóis, assentaram acampamento por lá, se tornando os donos de muitas pousadas, restaurantes e estabelecimentos. Os seis mil habitantes da região vivem basicamente do turismo. 

Atrativos culturais

O Forte de Morro de São Paulo foi construído para evitar as invasões dos holandeses, no século 17, devido a Morro de São Paulo ter uma localização estratégica para a defesa da Baía de Todos os Santos. O nome oficial é Fortaleza de Tapirandu, e está situada ao lado do cais e abaixo do Farol. Hoje, as ruínas guardam muitas lendas, e é um lugar perfeito para apreciar o melhor pôr do sol da ilha. Quem tiver sorte pode ver os golfinhos, que fazem um verdadeiro espetáculo da natureza com suas acrobacias aquáticas.

Ao lado do Farol, existe um mirante e a maior tirolesa dentro d’água do Brasil. O turista cai direto nas águas da Primeira Praia. Conhecê-lo vale tanto para os que desejam pular quanto para aqueles que preferem apenas olhar a ilha. A vista abrange a Primeira, a Segunda e a Terceira Praia e a Ilha da Saudade, um dos cartões postais de Morro de São Paulo. 

As águas calmas e transparentes das suas praias propiciam o lugar perfeito para a prática do mergulho, seja este autônomo (com equipamentos) ou livre (apenas com máscara e snorkel). A dica para o mergulho livre são as piscinas naturais da Quarta Praia quando a maré estiver baixa ou nos arredores dos arrecifes. Para quem gosta de mais aventura e quiser se aprofundar mais, na Primeira Praia há possibilidade de mergulhar com cilindro. Outros pontos de Mergulho em Morro de São Paulo são os Paredões da Gamboa, os recifes do Forte e os recifes de Itatimirim. 

Um dos passeios mais requisitados e conhecidos de Morro de São Paulo é o tour pelo arquipélago. O passeio parte  de Morro de São Paulo,  passando pela Praia do Encanto até as Piscinas de Garapuá, e seguindo para as piscinas de Moreré, onde recifes de corais formam piscinas naturais de águas cristalinas e tranquilas no meio do mar. A parada seguinte é a Praia da Cueira, em Boipeba, onde está Seu Guido com suas deliciosas lagostas. A partir de Cueira, há uma caminhada opcional ou pode seguir de lancha até a praia da Boca da Barra (em Velha Boipeba) e desfrutar dos restaurantes locais para almoço. O retorno é feito dando a volta na ilha, passando por manguezais e conhecendo a cidade histórica de Cairu, considerada a segunda cidade do Brasil, onde o passado se faz presente no antigo Convento Histórico de Santo Antônio. O passeio é uma dica para se ter uma visão geral do arquipélago e conferir as mais belas paisagens de Tinharé.

Se a maré estiver baixa, outra atração é uma caminhada do cais do Morro de São Paulo até a Gamboa, passando pelas praias do Porto de Cima e da Ponta da Pedra. Antes de chegar à Gamboa, está a encosta de argila, parada obrigatória para passar a argila por todo o corpo – segundo dizem os moradores, tem função esfoliante. A caminhada pode durar cerca de 25 minutos, e é ótima opção para passar o dia, uma vez que essas praias são bastante tranquilas. As águas são claras e a paisagem tem trechos preservados da Mata Atlântica. 

Para aqueles que gostam de luau à beira-mar, de badaladas e casas noturnas, a cidade tem festas todas as noites, com paisagens e praias paradisíacas. Suas festas estão espalhadas por praias, casas noturnas e barzinhos. Geralmente, elas obedecem a um calendário: às segundas e quintas-feiras, são os dias do Luau; às quartas, tem Teatro do Morro; às sextas e as sábados, as festas se dividem pelas casas noturnas. 

A ilha guarda outros pontos turísticos que retratam também sua importância histórica. Poucos sabem, mas Morro de São Paulo tem parte na história do Brasil. Além do Forte, a ilha preserva outros importantes monumentos históricos que retratam o passado heróico: a Igreja Nossa Senhora da Luz, construída em 1620; a Fonte Grande, considerada exemplo de abastecimento de água da época; o Farol e o Casarão, construído em 1608 e uma das moradias mais antigas da ilha que já hospedou personagens ilustres da História do Brasil  –  como o imperador D. Pedro II. Visitar esses pontos turísticos é também aprender um pouco sobre a história do Brasil.

As praias de águas cristalinas, areia branca e um imenso coqueiral estão cercadas por grandes barreiras de recifes. Quando a maré está baixa, se formam piscinas naturais pelos arredores dos arrecifes. Essas piscinas são locais ideais para banhistas de qualquer idade. Além de poder ver os peixes que ali ficam, é um lugar maravilhoso para banhar crianças pequenas e bebês. Uma dessas praias que possui belas piscinas naturais é a Quarta Praia.

Na vila do povoado, também tem exposição de artesanato. Várias barraquinhas cercam a praça com seus produtos típicos: são objetos de decoração, vestuário em geral, bijuterias, artigos de prata e outros itens. A feirinha de artesanato é um charme. Vale a pena ir dar uma olhada no trabalho desses artistas e adquirir aquela lembrancinha de Morro de São Paulo.

*Integrante do programa de estágio do jornal O HOJE sob orientação da editora Flávia Popov 

Veja Também