Ricardo Costa conquista primeiro ouro

Brasileiro sobe ao lugar mais alto no pódio no salto em distância para cegos; no atletismo, Odair Santos é prata

Postado em: 09-09-2016 às 06h00
Por: Sheyla Sousa
Brasileiro sobe ao lugar mais alto no pódio no salto em distância para cegos; no atletismo, Odair Santos é prata

No final da manhã de ontem, o Brasil conquistou sua primeira medalha de ouro nas Paralimpíadas do Rio. Ricardo Costa, de 34 anos, do salto em distância para cegos, atingiu a melhor marca em seu último salto e conseguiu o lugar mais elevado do pódio de maneira emocionante e levando o público presente a loucura. Ricardo foi diagnosticado aos 14 anos com a Doença de Stargardt, que causa a perca de visão de forma degenarativa. Essa é sua primeira participação nos Jogos.
Durante a prova, cada atleta possui seis tentativas e quem atingir a maior marca durante os saltos fatura a medalha. Na primeira vez, Ricardo queimou o salto, mas não se deixou abalar. Na segunda rodada já conseguiu atingir 6,41 metros, marca que foi o suficiente para manter a liderança durante quase toda a disputa, quando o americano Lex Gillette, que é recordista mundial da prova, saltou 6,44m. Na seqüência, Costa chegou a 6,43m e por um centímetro não conseguiu reaver a liderança.
Tudo ficou para a última tentativa. O público, que é proibido de fazer barulho para que os atletas com deficiência visual consigam se concentrar melhor, não se segurou e ainda assim soltaram aplausos e gritos de “eu acredito” antes de Costa partir para o salto. E a vibração ajudou o sul-mato-grossense a se manter frio e saltar de forma espetacular para atingir a marca de 6,52 metros. A torcida foi ao delírio. Ricardo Costa havia ganhado o primeiro ouro para o Brasil nas Paralimpíadas.

Prata
Com tempo de 15m17s, o brasileiro Odair Santos conquistou a medalha de prata nos 5.000m da classe T11 nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro. O queniano Samuel Kimani (15m16s) conseguiu levar o ouro nos metros finais e o bronze ficou com o compatriota Wilson Bill (15m22s).
O triunfo, contudo, veio com polêmica. O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), além de outros países, entrou com recursos para protestar contra a vitória de Kimani. Ele teria infringido algumas normas, principalmente, o mal posicionamento da venda sobre os olhos, mas também atraso e não substituição do guia durante a corrida. As queixas, contudo, não justificaram a alteração no resultado e Santos recebeu a prata. 
Foi a oitava medalha de Odair em Paralimpíadas. 

Veja Também