Daniel Martins quebra recorde e leva ouro

O venezuelano Luis Arturo Paiva chegou em segundo lugar, com o tempo de 47s83

Postado em: 10-09-2016 às 06h00
Por: Toni Nascimento
O venezuelano Luis Arturo Paiva chegou em segundo lugar, com o tempo de 47s83


Da Redação
Depois do título mundial, o ouro. O brasileiro Daniel Martins, 20 anos, mostrou por que domina os 400m T12 (para deficientes intelectuais) e garantiu a medalha de ouro na prova, baixando o recorde mundial, que já pertencia a ele, de 47s78 para 47s22. O venezuelano Luis Arturo Paiva chegou em segundo lugar, com o tempo de 47s83. Gracelino Tavares Barbosa, de Cabo Verde, completou o pódio, com 48s55.

No Mundial de Atletismo Paralímpico do ano passado, em Doha, no Catar, Daniel fechou a distância em 48s27, tempo suficiente para ficar com o título. No Rio de Janeiro, venceu com sobra: o paulista tomou a frente nos primeiros metros e não deu chance para que os adversários ameaçassem sua liderança. Tanto é que ele se permitiu começar a comemoração antes mesmo de cruzar a linha de chegada, tamanha distância que impôs para cima do segundo colocado.

Daniel está no atletismo desde 2013: depois de começar no futebol, o atleta migrou para as pistas e despontou como nome a ser batido na prova em que os atletas dão uma volta completa na pista de corrida. A deficiência intelectual foi constatada durante o tempo de escola, quando Daniel começou a apresentar dificuldade de aprendizado.

Continua após a publicidade

Esta é a terceira medalha de ouro do Brasil nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro, a segunda no atletismo: na quinta(8), Ricardo Oliveira venceu no salto em distância T11. Odair Santos, correndo nos 5000m T11, garantiu a prata, primeira medalha dos donos da casa. O Brasil agora contabiliza cinco medalhas, sendo três ouros, uma prata e um bronze.

Lúcia Araújo fica com medalha de prata

O Brasil conquistou a primeira medalha no judô paralímpico no Rio de Janeiro. A judoca Lúcia Araújo Teixeira ganhou a prata na disputa com a ucraniana Inna Cherniak, que ficou com o ouro na categoria até 57 quilos, na sexta-feira (09), na Arena Carioca 3 do Parque Olímpico, na Barra da Tijuca.

Competiram na sexta-feira (9) na primeira fase os judocas brasileiros Abner Nascimento de Oliveira, na categoria até 73 quilos, que perdeu para Mauricio Briceno, da Venezuela, Harley Damião Pereira Arruda, na categoria até 81 quilos, que perdeu para José Effron, da Argentina.

Maior campeão paralímpico, o brasileiro Antônio Tenório, compete na primeira fase neste sábado (10) contra o alemão Oliver Upman, na categoria até 100 quilos. Responsável pela primeira medalha de ouro brasileira, em Atlanta, Estados Unidos, nos Jogos de 1996, Tenório tem quatro medalhas de ouro e uma de bronze. Também neste sábado,  às 10h10, o judoca Wilians Silva de Araujo enfrenta o iraquiano Garrah Albdoor nas quartas de final, na categoria acima de 100 quilos.
No judô feminino até 70 quilos, Alana Maldonado Martins compete nas quartas de finais com a britânica Natalie Greenhough. Na categoria acima de 70 quilos, Deanne Silva de Almeida disputa as quartas de final com a norte-americana Sarah Chung.

Os atletas brasileiros participam em 12 categorias do judô e a expectativa da seleção é que possam conquistar de duas a três medalhas. No total, o judô já rendeu ao Brasil 18 medalhas na história dos Jogos, sendo quatro de ouro, cinco de prata e nove de bronze.

Brasil estreia com vitória no vôlei sentado

A seleção brasileira masculina do vôlei sentado estreou na última sexta-feira (9) com vitória nos Jogos Paralímpicos Rio 2016. Os brasileiros ganharam dos Estados Unidos por três sets a zero na disputa que ocorreu no Riocentro.

O Brasil começou o jogo muito bem e fechou o primeiro set com tranquilidade, por 25 a 14. A equipe dos Estados Unidos cresceu e começou o segundo set na frente, mas os brasileiros recuperaram o jogo e venceram por 25 a 17. O terceiro set fechou em 25 a 14 para o Brasil.

Pelo Grupo A, o próximo jogo da equipe masculina acontece neste domingo (11), contra o Egito. A seleção feminina do vôlei sentado também estreia hoje no Rio 2016, às 18h30, contra o Canadá.

História
O voleibol sentado é disputado por atletas com dificuldades locomotoras e está na Paralimpíada desde os Jogos de Arnhem, na Holanda, em 1980. As competições femininas entraram 24 anos depois, em Atenas, na Grécia, em 2004. Na Rio 2016, oito seleções masculinas e oito femininas disputam um lugar no pódio.

Com seis atletas de cada lado, as equipes jogam sentadas, separadas por uma rede baixa, com o objetivo de acertar a bola dentro da quadra do adversário. A modalidade é praticada atualmente em mais de 50 países. (ABr)

Veja Também