Com “projeto escadinha”, Atlético-GO muda filosofia na captação de atletas

Em meio o calendário recheado que o Atlético Goianiense teve nessa temporada, que neste momento resta apenas a Série A em disputa,

Postado em: 21-10-2021 às 19h33
Por: Felipe André
Com a pretensão de revelar mais jogadores após mudar filosofia de captação, Atlético-GO celebrou o título do sub-15 | Foto: Bruno Corsino/ACG

Em meio o calendário recheado que o Atlético Goianiense teve nessa temporada, que neste momento resta apenas a Série A em disputa, na base é um pouco diferente. Neste ano, o rubro-negro participou de dois torneios nacionais, por conta de sua colocação no ranking da CBF, sendo ele o Brasileirão Sub-17 onde ficou com a 15ª colocação geral, e no Brasileirão Sub-20, onde ficou em último, entre 20 clubes.

Agora, o foco se tornou as competições estaduais e assim o Atlético Goianiense confirmou o seu primeiro título. Na tarde desta quinta-feira (21/10), jogando no estádio Antônio Accioly com a presença de torcedores, o rubro-negro venceu o Bela Vista por 2 a 0, com gols de Yuri e Kauê, e se tornou campeão do Campeonato Goiano Sub-15. O time segue vivo nas outras categorias, que vão do sub-13 até o sub-20, mas na primeira final, o primeiro título para coroar um projeto de “escadinha”.

“Nós trabalhamos para isso (os jovens serem o futuro do clube). É uma ‘escadinha’, hoje temos um bom sub-13, sub-15 e sub-17, não tem como você começar de cima para baixo. Espero que no ano que vem o nosso sub-20 possa melhorar, pois hoje é a nossa categoria mais fraca e está fazendo a pior competição. Espero que essa escadinha chegue ao profissional para atender às nossas necessidades”, disse o presidente do Atlético-GO, Adson Batista, para o Jornal O Hoje.

Continua após a publicidade

O “projeto escadinha” como citou Adson Batista vem sendo colocado em prática principalmente após o desempenho ruim da equipe sub-20. Nesta temporada diversos jogadores foram contratados, não renderam e alguns inclusive já foram dispensados. Muitos atletas do sub-17 chegaram a completar o time que é comandado por Rogério Corrêa durante o Campeonato Brasileiro Sub-20, mas já retornaram para sua própria categoria.

“A gente vem em um trabalho pautando as categorias menores para gente diminuir a captação no sub-17 e sub-20. Estamos fortalecendo o sub-13 e o sub-15, que acabou se tornando campeão. Esse trabalho começou no ano passado, não foi de agora, com alguns atletas que já estavam aqui e uma captação forte que fizemos no interior do estado que rendeu jogadores de boa qualidade. O título coroa esse trabalho feito e mostra que precisa começar nas categorias menores, para render nas maiores”, revelou o Gerente das Categorias de Base do Atlético-GO, Wendel Batata, para o Jornal O Hoje.

A categoria sub-15, assim como a sub-13 que começa a semifinal no início da próxima semana, retornou agora desde o início da pandemia. No fim de 2020, a Federação Goiana de Futebol (FGF) montou uma competição para as categorias sub-17 e sub-20, já que o Campeonato Goiano havia sido cancelado, mas os atletas ainda mais jovens, ficaram até sem treinamento durante esse período, mas com o foco no torneio conquistaram o título.

“Realmente foi um ano muito difícil e atípico. Tivemos que nos desdobrar para conseguir manter o foco da garotada, até porque ficamos praticamente um ano parado, sem treinamentos, mas o Atlético-GO nos deu toda uma estrutura para fazer os trabalhos de maneira online. Além disso, fizemos acompanhamento psicológico, social e até mesmo físico através de treinamentos em plataformas digitais, pois sabíamos que não íamos ganhar nada, mas para perder menos. As coisas estão melhorando e fomos coroados agora com esse título”, disse o treinador da categoria sub-15, Wilker Bastos, para o Jornal O Hoje.

Veja Também