Harmonização do pão com o vinho

Postado em: 07-10-2021 às 13h24
Por: Redação
Quando eu penso na harmonização de comida com vinho, logo vem a minha cabeça a harmonização de pães e vinhos.

Por Edna Gomes (especial para O Hoje)

Quando eu penso na harmonização de comida com vinho, logo vem a minha cabeça a harmonização de pães e vinhos, apesar de uma tradição bem antiga entre os povos — presente, inclusive, nas liturgias da Igreja Católica.

Foi justamente pensando nisso que elaborei este texto. Vou dar dicas de como juntar esses dois elementos em uma refeição. Fazer a harmonização da comida com a bebida, em geral, serve para oferecer uma boa experiência a quem degusta a refeição. A ideia é aproveitar e realçar ao máximo o sabor de cada pão. Para que isso ocorra, então, é preciso haver equilíbrio entre todos os componentes. É claro que a harmonização não é uma ciência exata. É preciso considerar também as singularidades e preferências de cada paladar. No entanto, há algumas regrinhas que, se seguidas corretamente, podem proporcionar um sonho no seu paladar.

Nenhuma combinação alimentar é tão antiga quanto aquela feita com pães e vinhos. Esses dois alimentos, que são símbolos históricos da evolução e do comportamento da humanidade, por muito tempo andaram juntos, alimentando populações em diversos cantos do mundo.

Saber fazer a harmonização de pães e vinhos, deveria ser uma atividade natural na nossa rotina, mas sabemos que não é bem assim. Para lhe ajudar a recuperar essa prática tão antiga – e saudável – que tal conferir essas minhas dicas de harmonização de pães e vinhos?

Assim como acontece com a harmonização de vinhos e outros alimentos, para combinar essa bebida com diferentes tipos de pães é preciso apenas ficar atento à regra dos sabores complementares: nem o sabor do vinho, quanto o do pão, podem se sobrepor ao ser combinados. A sensação no seu paladar deve ser complementar, melhorando a sua experiência ao saborear ambos.

Para facilitar, pense sempre que pães com sabor mais forte combinam melhor com vinhos tintos igualmente robustos, enquanto pães delicados e com sabores suaves podem harmonizar melhor com vinhos mais leves, como os brancos. Outro ponto importante a se levar em consideração é que os vinhos ácidos, geralmente, são difíceis de harmonizar com pães, por não combinarem tanto com a textura desse alimento. Por isso, se você quer minimizar a chance de erro, prefira outros tipos de vinhos ao testar essas combinações.

Sugestões de harmonização

Alguns tipos de pães parecem que nasceram para harmonizar com determinados tipos de vinhos. Aqui separamos algumas sugestões de combinação para você tentar em uma próxima oportunidade:

Baguettes 

Para os apaixonados por pães franceses e as saborosas baguettes, uma boa opção de harmonização são as uvas tradicionais do mesmo país, como a Pinot Grigio e a Cabernet Sauvignon. Seus sabores suaves complementam o frescor e a discreta acidez oferecida por esses tipos de pães.

Pães integrais e focaccias

Vinhos rosés são ótimos para combinar com pães saborosos, como os integrais feitos com 100% de trigo e também as focaccias. Como esses pães têm um sabor um pouco mais marcante que outras receitas, o rosé é uma ótima alternativa para complementar a experiência, deixando-a equilibrada. Fique atento somente para escolher rosés mais doces para pães mais adocicados, e rosés secos para pães com sabor mais forte.

Pães doces

Os rosés adocicados vão muito bem com os pães doces. Aqueles feitos com chocolates e frutas, por exemplo, com uma grande característica açucarada, se saem muito bem com um vinho do Porto ou rótulos da uva Rieslings. Esse último tem uma excelente harmonização com sabores como o da baunilha.

Pães de provolone

Como os pães de provolone têm um sabor bem marcante, pedem o acompanhamento de vinhos brancos. Por se tratarem de rótulos mais suaves, valorizam esse tipo de queijo sem desaparecer no paladar.

Panettone

Como as marcas diversificaram os sabores e, hoje em dia, existem diferentes tipos de panettone, separamos as dicas de acordo com o recheio:

  • de frutas cristalizadas e uvas-passas: vão muito bem com espumantes feitos da uva Moscatel, por serem mais frutados e florais;
  • com gotas de chocolate: harmonizam com vinhos que têm notas de frutas vermelhas ou secas, sabor adocicado e um pouco mais de teor alcoólico, como o Marsala;
  • com nozes: casam bem com vinhos mais doces e com toque de nozes (o que segue a regra da similaridade).

Pães gourmets

Nos dias de hoje, é comum encontrarmos tipos de pães cada vez mais diferentes nas padarias. Se levar para casa aqueles mais rústicos e com ingredientes fortes, como queijos, nozes e uvas-passas, faça a combinação com um vinho igualmente marcante. Vale harmonizar com o Malbec ou o Syrah, por exemplo.

Pão de centeio 

Pães de centeio apresentam, geralmente, uma crosta com sabor discretamente caramelizado e interior com um doce suave. Essas características combinam com o delicado Pinot Noir, que valoriza o sabor adocicado desse tipo de pão. Essa, inclusive, é uma harmonização de pães e vinhos bastante utilizada em restaurantes populares em toda a França.

Pão de azeitona 

O Italiano pão de azeitona pede um vinho tipicamente italiano, certo? Os Sangiovese e os Nero D´Avila são excelentes para completar o sabor defumado e discretamente amargo das azeitonas. Complete essa combinação com um pedaço de carne vermelha e uma massa ao molho sugo, para ser teletransportado diretamente para a Itália

Gostou das dicas que reuni para você? Então, no banquete da vida a amizade é o pão, e o amor é o vinho. Para o corpo pão e vinho, para a alma sonho e poesia. Por isso o pão é a canção dos povos alegres à mesa e o vinho, dos povos cheios de luz do amor. Compartilhe pão e vinho com seus amigos e um amor, mas com sabedoria. 

Compartilhe: