Nise Yamaguchi nega ter tentado mudar bula da Hidroxocloroquina

Postado em: 01-06-2021 às 15h13
Por: Luan Monteiro
O ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e o presidente da Anvisa, Barra Torres, disseram que reunião no Planalto sugeriu a mudança da bula | Foto: Reprodução

A médica Nise Yamaguchi disse à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia, que não existiu minuta que sugere mudança da bula da Hidroxocloriquina. A versão de Nise contradiz o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta e o presidente da Anvisa, Barra Torres.

Mandetta disse a CPI em 4 de maio, que viu minuta do Palácio do Planalto para mudar a bula do medicamento. A ideia seria incluir na bula que o remédio seria eficiente para tratar a Covid-19, o que é desmentido por estudos científicos.

Já o presidente da Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Barra Torres, confirmou a existência da minuta e disse que a mudança da bula foi defendida por Nise. Torres ainda disse que teve uma reação “deselegante” ao rechaçar a proposta.

A Hidroxocloroquina, mesmo ineficaz, é defendida pelo presidente Jair Bolsonaro (Sem partido), e aliados como um medicamento do chamado “tratamento precoce”, também não recomendado pela ciência.

“Nessa situação, não houve minuta de bula. Eu não minutei nenhuma minuta de bula. Não existiu ideia de mudança de bula por minuta nem por decreto”, afirmou Nise.

“Não tinha nada a ver com mudança de bula. Era simplesmente o rascunho de como poderia ser disponibilizada uma medicação que estava em falta”, continuou a médica. “Disponibilização da medicação num momento de pandemia”, concluiu.

Compartilhe: