Acusados de matar mulher que desapareceu após desembarcar em aeroporto de Goiânia vão a júri

Justiça determinou o julgamento a pedido do Ministério Público de Goiás (MP-GO), mas a data ainda não foi divulgada

Postado em: 17-08-2022 às 11h20
Por: Mariana Fernandes
O inquérito aponta que Juscelino contratou Ronaldo, como pagamento do perdão de uma dívida | Foto: Reprodução/Redes

Os acusados de matar Lilian de Oliveira, de 40 anos, que desapareceu após desembarcar no Aeroporto de Goiânia, devem ir a júri popular. A Justiça determinou o julgamento a pedido do Ministério Público de Goiás (MP-GO), mas a data ainda não foi divulgada.

O crime aconteceu em fevereiro de 2020, quando Lilian desembarcava após uma viagem à Colômbia. Entre os acusados pela polícia estão:

  • Ronaldo Rodrigues Ferreira: acusado de ser contratado para cometer o crime;
  • Juscelino Pinto da Fonseca: acusado de ser o mandante;
  • Cleonice de Fátima Ferreira: babá da filha de Juscelino, que teria ajudado em todo o planejamento com o objetivo de ficar com a guarda da criança.

A defesa de Ronaldo Rodrigues informou, em nota, que recorrerá a decisão. Para o advogado, não existem provas suficientes que incriminam o rapaz. Já a defesa de Juscelino e Cleonice informou que os clientes são inocentes e que, assim como os familiares da desaparecida, querem achar o culpado.

Continua após a publicidade

Investigações

Segundo investigações policiais, Juscelino manteve uma relacionamento extraconjugal com Lilian, com que teve uma filha de 7 anos. Além das brigas por conta do pagamento da pensão alimentícia, Juscelino teria sido traído por Lilian. Ronaldo, também suspeito, chegou a viajar à Colômbia com o objetivo de matar Lilian, porém acabou desistindo e voltando ao país. 

O inquérito aponta que Juscelino contratou Ronaldo, como pagamento do perdão de uma dívida de R$ 20 mil. Quando a vítima retornou, Cleonice a avisou de que mandaria uma pessoa buscá-la no aeroporto. Essa pessoa seria Ronaldo, se passando por taxista.

Leia também: Professor Pantaleão declara patrimônio de R$ 22 mil ao TSE

Veja Também