Sábado, 21 de setembro de 2019
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Cultura

A inovação musical de Gabi & Raphaela

Postado em: 11-09-2019 às 07h30
Cantoras contam sobre a trajetória, influências e dos frutos do DVD ‘Metarmofose’ - Foto: Reprodução

Sabrina Moura

Representando as mulheres na música, as sertanejas Gabriela e Raphaela Turozi são reconhecidas no meio musical como Gabi & Raphaela, recentemente estiveram no estúdio do jornal O Hoje onde relembraram a trajetória, as primeiras composições, contaram sobre as suas influências e nos atualizaram sobre os frutos do recente trabalho intitulado ‘Metamorfose’. 

 

História

As paranaenses da cidade de Lupinópolis se tronaram artistas por influência dos pais que sempre gostaram muito de música. “A gente sempre ouvia elas cantando nos churrascos, a minha mãe fazia parte do coral da igreja”, conta Gabi. “Crescemos com essa influência dos nossos pais e da nossa família toda. O meu violão por exemplo, é de 1971, pertenceu ao meu avô que tinha uma banda baile em que o meu pai tocava. O violão foi uma herança que ele deixou para a gente levar música para as pessoas. Crescemos com o universo da música nos rodeando e na verdade nós nunca paramos para pensar: ‘quero ser cantora’. A partir do momento em que começamos a cantar juntas a gente já sabia que era artista, já chegávamos nos apresentando e uma curiosidade é que o nosso primeiro show foi na academia que a gente malhava e as coisas foram acontecendo”, relembra Raphaela.

As artistas sempre tiveram a vontade de escrever, porém, segundo Gabi a experiência era inexistente e revela que a irmã sempre foi a mais sentimental. A primeira composição das meninas foi a música ‘Duas Vidas’ que surgiu no período de escola. “Quando a gente estudava tinha um menino da minha sala no qual eu comecei a ‘curtir’ ele (risos). Só que ele era meio estranho, sei lá, me esnobava. Quando eu comecei a escrever foi para esse menino da escola que deu origem a música que fala: duas vidas opostas, sem real desejo, sem real resposta, duas vidas opostas... Já que não sabe amar, não me provoca”, conta Raphaela. “E o engraçado é que ela chegou com essa letra me pedindo ajuda para a melodia”, lembra Gabi.

 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar