Quarta-feira, 05 de agosto de 2020
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Ser do bem

Programa social contribui para formação profissional de jovens da rede pública de ensino

Postado em: 10-01-2020 às 11h30
Proposta visa oferecer aos jovens uma estrutura técnica e de apoio que contribua para uma formação humana, cultural e psicológica, com ênfase no aspecto profissional| Foto: Divulgação

Da Redação

O Programa Construindo o Futuro foi lançado, em 2019, pelo Registro de Imóveis da 1ª Circunscrição de Goiânia (1ºRIGO). Com o objetivo de contribuir para a formação pessoal e profissional de estudantes da rede pública de ensino do Estado de Goiás, foram selecionados cinco jovens para formalizar o vínculo contratual, por 22 meses, com dedicação de quatro horas diárias nas instalações da entidade Obras Sociais do Centro Espírita Irmão Áureo (Osceia). 

Entre os selecionados está Túlio Cesar Carvalho Machado Guimarães Rezende, de 17 anos. Estudante do Colégio da Polícia Militar de Goiás, Unidade Hugo de Carvalho Ramos, ele enfatiza que as amizades, companheirismo com os colegas e também conhecimento adquirido com os mais velhos são as experiências obtidas no 1ºRIGO que levará em sua vida.

“O Programa Construindo o Futuro foi de suma importância para minha vida pessoal e profissional, pois me deu a oportunidade de trabalhar em todos os departamentos da serventia, tendo me oferecido mais experiência na vida profissional”, destaca Túlio. Seu colega de escola, Caio Emanuel Pereira Faria, de 17 anos, estudante do Colégio Estadual Olavo Bilac, outro aluno selecionado, ressalta a convivência e relacionamento profissional que adquiriu na Serventia. “Levarei para minha vida tudo aquilo que aprendi com as orientações de meus supervisores, através de conversas, reuniões e dinâmicas”, afirma.

Os cinco participantes do Programa Construindo o Futuro são alunos de escolas públicas de Goiânia com as melhores pontuações no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que consiste em um indicador que avalia as escolas de todo País pelo fluxo escolar e as médias de desempenho nas avaliações. A proposta visa oferecer aos jovens uma estrutura técnica e de apoio que contribua para uma formação humana, cultural e psicológica, com ênfase no aspecto profissional. 

Aluna do Colégio Estadual Jardim Europa, Geovana descreve sua vivência no 1ºRIGO como uma oportunidade para aprender a trabalhar em equipe, organizar suas atividades e controlar a assíduidade. "Tudo isso eu levarei para a minha bagagem profissional e para a minha vida pessoal”, pontua. O mais novo dos cinco jovens, Pedro Lucas Rodrigues Nunes, 15 anos, relata ter aprendido várias lições durante o tempo que está no 1ºRIGO. “Graças ao 1ºRIGO, hoje, eu consigo saber quais são os processos de um título, certidão, registro dentre outros serviços”, relata Caio. 

Durante o período dentro do 1ºRIGO, os estudantes participam do Programa de Capacitação Interna (PROCAPI) por meio das reuniões quinzenais nas quais debatem temas abordados no livro “Como influenciar pessoas e fazer amigos”, de Dale Carnegie.  “O livro nos mostra muito a questão de crescimento pessoal e sempre percebemos que devemos melhorar cada vez mais e levar esses ensinamentos pro resto da vida”, descreve a estudante do Colégio Estadual Jardim Europa, Thainara Oliveira Costa, 16 anos.

Thainara conta que levará para sua vida as amizades e o respeito. No período em que esteve na Serventia, aprendeu a desenvolver várias atividades, como fazer respostas de ofício e sobre indisponibilidades. “Em todos os departamentos que passei aprendi a me relacionar melhor com as pessoas, a ter paciência. Cada dia é um novo ensinamento, não somente para o cartório, porém para vida”, declara. 

Geovanna Ketlyn Meireles, 16 anos, também cita as reuniões realizadas pelo PROCAPI nas quais tem aprendido o poder do sorriso. “As reuniões, nas quais lemos um livro, me ajudam no desenvolvimento pessoal com lições de vida. Também fazemos um relatório sobre um capítulo e discutimos sobre ele e nossas experiências”, conta.

No último mês de dezembro de 2019, os pais e responsáveis pelos jovens estiveram na Serventia para conhecer as instalações e saber sobre o desenvolvimento profissional de seus filhos(as). Havena Carvalho, 33 anos, é a mãe do Túlio Cesar e afirma que a participação no Programa contribuiu para que o jovem planejasse a sua renda e o seu futuro. “Eu percebi que ele teve uma mudança depois que ele veio para o cartório. Ele hoje planeja, faz cálculos do que ganha, do que pode comprar. Hoje, ele pensa no futuro através do cartório”, afirma. 

O pai do Caio Emanuel, Robson Franco Faria, 50 anos, diz ter percebido um aumento no senso de responsabilidade do jovem. “A gente percebe que ele levanta cedo, desperta, faz tudo sozinho. Não precisa ficar pegando no pé dele, exigindo. Eu senti isso nele: o crescimento de responsabilidade e de comprometimento”, aponta. Caio ratifica as afirmações do pai e afirma que aprendeu a se adequar às funções que lhe instruem, ser pontual e responsável. “Além de estar me proporcionando a primeira experiência de emprego, o Programa está me mostrando e ensinando outras experiências, como estímulo para a leitura. Sou muito grato a todos que fizeram este projeto dar certo”, diz.

 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar