Peça de teatro alerta sobre importância de combater relações abusivas

Postado em: 27-10-2021 às 09h38
Por: Redação
Espetáculo pode ser assistido online até 31 de dezembro. | Foto: Reprodução

Por Elysia Cardoso (especial para O Hoje)

Escrita, dirigida e interpretada por mulheres que já viveram situações de violência em relacionamentos, uma peça de teatro virtual une Portugal e Brasil em um importante objetivo: fazer o público pensar no papel que a sociedade tem em lutar contra as relações abusivas.

No espetáculo monólogo luso brasileiro ‘Relação Abusiva’, disponível online na plataforma ticketline até 31 de dezembro, a autora Luciene Balbino usa a observação e conversas de apoio com mulheres em relacionamentos tóxicos pra contar a história de Maria das Dores, uma mulher que sofreu desde a infância este tipo de relação com a mãe, com colegas da escola e em relacionamentos quando adulta.

Muitas pessoas que passaram por abuso sexual, exploração e comportamento distorcido invasivo, violência física e agressão buscam relações nocivas durante a vida, pois aprenderam o prazer pela dor. Também, em muitas famílias, relações tóxicas passam de geração para geração simplesmente pela sociedade ter normalizado atitudes de controle, como a falsa preocupação com o bem-estar da parceira, disfarçada de manifestação de amor.

Para a autora, é muito importante desfazer o mito de que a relação abusiva está relacionada a prática de atos de violência, agressões físicas ou estupros. A violência psicológica ou moral é tão grave quanto a física e não atinge somente as mulheres. Ao longo dos 45 minutos de peça, Luciene deixa claro que este é um problema não restrito apenas ao gênero.

Ao crer que jamais poderão viver sem o companheiro, mulheres acabam aceitando a violência psicológica e não encontram saída para romper com o ciclo de dor. No Brasil, segundo dados do Datafolha, estima-se que uma em cada quatro mulheres foi vítima de violência em 2020.

Em todo ano passado, mais de 105 mil denúncias de violência contra a mulher foram registradas nas plataformas do Ligue 180 (Central de Atendimento à Mulher) e do Disque 100 (denúncias de violação de direitos humanos). Do total de registros, 72% são de violência doméstica e familiar contra a mulher, como ação ou omissão que causem morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico, além de danos morais ou patrimoniais.

Em Portugal, conforme a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV), um estudo com jovens entre 13 e 29 anos constatou que um em cada quatro já foram vítimas de algum tipo de conduta abusiva pelo(a) namorado(a).

A peça busca mostrar também que o círculo ao redor da vítima pode e deve agir. Para a autora, ouvir o outro pode ser vital e incentivar a pessoa a procurar ajuda faz toda a diferença. Luciene reforça com o espetáculo que é possível recomeçar e voltar a ser feliz e livre. (Especial para O Hoje)

Compartilhe: