Rejuvenescimento sem cirurgia é tendência

Postado em: 29-02-2016 às 15h00
Por: Redação
Procedimentos com recuperação imediata e que adiem a necessidade de plástica tem aumentado muito

Em busca da beleza, saúde, autoestima, vitalidade ou bem-estar, a procura por procedimentos de rejuvenescimento da pele tem sido cada vez maior, bem como a disponibilidade de diversas técnicas, cirurgias, tratamentos e equipamentos.

Aliada à essa demanda, um desejo recorrente em consultórios de dermatologia é um resultado “natural” e uma rápida recuperação. De olho nesse mercado, a oferta de procedimentos com recuperação imediata e que adiam a necessidade de cirurgia plástica tem se ampliado no segmento estético.

A dermatologista Maria Lígia Mendonça revela que atende diariamente pacientes que querem rejuvenescer sem, no entanto, parecer que passaram por cirurgias e sem um efeito “artificial”. “A tendência atual é buscar melhora na aparência de forma natural, estando bem sem que as pessoas ao redor notem que foi feito um procedimento dermatológico”, explica. 

Para tanto, Maria Lígia afirma que existem novas tecnologias capazes de proporcionar resultado eficaz em poucas sessões, além do benefício de poder retornar à rotina logo em seguida, pois não exige período de recuperação.

A mais recente sensação no mercado estético, que tem atraído muitas mulheres, é a tecnologia Exilis Elite. “É uma ótima opção para quem quer fazer remodelagem corporal, acabar com a flacidez e rejuvenescer sem passar por cirurgia. É um procedimento não-invasivo que libera a paciente a retomar suas atividades imediatamente”, explica a dermatologista.

De acordo com a médica, o tratamento com o Exilis Elite pode adiar ou eliminar a necessidade de cirurgia e, em alguns casos, como na redução de rugas, pode surtir efeito em apenas uma única sessão.

O envelhecimento da pele tem diferentes causas e pode ser influenciado por genética, idade, exposição solar, estresse e até por hábi­tos como alcoolismo e tabagismo. Maria Lígia defende que os estudos clínicos já mostram que quanto mais cedo se iniciar os tratamentos dermatológicos, melhores são os resultados a longo prazo, tanto em termos de eficácia, quanto em naturalidade. 

“Sabemos que a produção de colágeno começa a declinar a partir dos 25 anos de idade; então, se nessa fase a paciente já apresenta sinais clínicos de envelhecimento cutâneo, ela já pode começar o tra­tamento, a partir da avaliação do dermatologista”.

Segundo a médica, alguns casos de envelhecimento da pele causam problemas à saúde, como, por exemplo, uma flacidez exces­siva de pálpebras que pode levar a problemas na visão, ou o envelhecimento da pele de áreas expostas ao sol, que pode gerar lesões de risco para câncer de pele. “Por isso é tão importante que o paciente procure um dermatologista para técnicas de rejuvenescimento, para que ele possa ser avaliado de forma global, considerando, sim, a parte estética, mas, sobretudo, colocando a saúde do paciente em primeiro pla­no”, completa.

Aparelhos como o Exilis podem ser utilizados em qualquer parte do corpo que incomode a paciente, inclusive na área genital, sendo as mais procuradas a face, o pescoço e papada, colo, mãos e antebraços. Além da alta demanda por tratamentos para gordura localizada, os procedimentos mais em alta são toxina botulínica, preenchimento de sulcos (bigode chinês e rugas profundas no rosto), tratamento de manchas na face, colo e mãos.

Tratamento

O tratamento de envelhecimento da pele deve ser definido pelo dermatologista conforme as especificidades de cada caso. Em alguns, uma sessão de poucos minutos é suficiente para obter o resultado esperado. Em outros, é necessária a associação de diferentes técnicas, a médio ou longo prazo para tratar o problema em questão. Para esses casos, a médica Maria Lígia criou um protocolo de rejuvenescimento individual, denominado Skin Lift, que atende às particularidades de cada paciente e pode adiar cada vez mais a necessidade de cirurgia plástica.

“O programa combina procedimentos já consagrados, que são realizados em consultório, a fim de potencializar seus resultados, devolvendo à pele um aspecto jovem e saudável de forma natural. O tratamento é minimamente invasivo, sem cirurgias e sem cortes, e não necessita de período de recuperação”, explica Maria Lígia.  

Compartilhe: